Translate

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

ALISTAMENTO ELEITORAL E TRANSFERÊNCIA DE TÍTULOS

Os cartórios eleitorais do Pará começam, a partir de hoje, a funcionar em horário diferenciado em função do plebiscito sobre a divisão do Pará. Até a sexta-feira o atendimento ao eleitor será das 8 às 15 horas. Três horas a mais que o habitual. O prazo para alistamento eleitoral e transferência de títulos termina no dia 11 de setembro. No próximo sábado, 3 de setembro, o funcionamento dos cartórios e centrais de atendimento ao eleitor será das 8h às 12h. No período de 8 a 11 de setembro, última semana de cadastramento, o atendimento ao público será prolongado até as 18 horas.
“O importante é que o eleitor não deixe de votar de forma consciente no plebiscito porque esta é uma consulta muito importante para todo Pará”, afirmou o presidente da Justiça Eleitoral, desembargador Ricardo Nunes. Ele ressalta que após o prazo, os serviços continuarão sendo prestados pelos cartórios eleitorais no horário normal de atendimento, no entanto o eleitor com pendências junto à Justiça Eleitoral não poderá participar do plebiscito. Por lei, a inscrição e o voto são obrigatórios para os maiores de 18 anos e facultativos para os analfabetos, jovens entre 16 e 18 anos e maiores de 70. Aqueles que completarem 16 anos até 11 de dezembro poderão votar desde que solicitem seu título dentro do prazo previsto pela legislação.
Como obter o título eleitoral
 Para obter o título pela primeira vez, a pessoa residente no Pará deve procurar o cartório eleitoral correspondente ao seu bairro, com o RG ou outro documento que o identifique, comprovante de quitação do serviço militar e comprovante de residência. Quem mora no interior deve procurar o cartório eleitoral de sua cidade.
Em caso de transferência, o eleitor deve apresentar RG, comprovante de residência, título eleitoral e ainda um comprovante de que mora no domicílio eleitoral há pelo menos três meses.
O eleitor portador de deficiência física que não está inscrito em uma Seção Especial deve solicitar transferência para uma delas, a fim de evitar aborrecimentos no dia da votação.

 Fonte: RG 15/O Impacto e Amazônia

GRADES NAS COMUNIDADES

Estive recentemente em Bragança, município do interior paraense. Chamou minha atenção, em uma comunidade rural, o excesso de grades em portas e janelas. Perguntei a quem me acompahava em um trabalho na zona rural bragantina, sobre o porquê das grades nas residências por onde passávamos. Responderam ser por causa do grande número de ladrões que encontram, naquela estrada de terra, um corredor para fuga da polícia e da fiscalização do trânsito. Grades nas cidades, lamentavelmente, já é algo normal. Mas nas colônias, a surpresa foi grande. Égua!
Mas Bragança está cada vez mais desenvolvida. A cidade está bonita e com ótimos estabelecimentos para esfriar a cabeça, principalmente à noite. Busquei informações sobre quem concorrerá às eleições em 2012. O povo fez boca de siri. O prefeito Edson Oliveira está em seu segundo mandato. Mas nada de definição sobre em quem ele aposta para ser seu sucessor. Quando eu encontrar o prefeito, farei a pergunta e saberei sobre suas intenções. Tomara ele também não faça segredos, ou seja, não faça boca de siri. Não me esqueci das grades...

O PARÁ FICARÁ COMO ESTÁ

Ainda não manifestei minha intenção de voto. Mas já estou decidido. Porém, independente de eu querer ou não a criação dos estados de Carajás e Tapajós, considero que a maioria dos eleitores dirá NÃO e os pojetos serão arquivados.
No Baixo Amazonas, o ânimo é maior em Santarém que poderá ( ou poderia) ser a capital. Em outros municípios da região, o pique não é o mesmo. Essa ideia de que há somente interesse político, não passa apenas pela cabeça dos eleitores que residem fora do oeste do Pará. Há quem resida em Monte Alegre, Alenquer e Prainha, como exemplos, que também duvidam que a vida deles vai melhorar.
Apesar dos milhões de reais envolvidos na campanha em favor de Carajás, seria errônea uma afirmação que esse estado será criado.
Enquanto as pesquisas não chegam, mantenho minha opinião, ou seja, o Pará continurá grande geograficamente e os governantes precisam, de uma vez por todas, cuidar dos recursos públicos e garantir qualidade de vida para quem mora dentro ou fora das regiões que pretendem se desmembrar. A questão é respeitar o povo e bem investir os recursos, o que não é fácil, no Brasil, sendo esse, um dos países mais corruptos do mundo. Os políticos do Pará bem que poderiam dar um ótimo exemplo neste quesito. Poderiam aproveitar e iniciar esse exemplo passando a limpo o caso da Assembléia Legislativa Paraense. Façam isso e o povo que pretende a divisão, pelo menos uma grande parte dele, poderá ver com bons olhos a manutenção do estado do Pará.

PARA PREFEITO DE BELÉM: EDMILSON OU JORDY?

Aposto que os dois disputarão no segundo turno. Posso me enganar, mas acredito que ambos chegarão na disputa com muita força, faltando apenas saber quem os apoiará no turno incial e/ou no seguinte, pois o contexto não aponta para uma decisão em turno único.
Na primeira vez em que governou Belém, Edmilson, ex - PT e hoje no PSOL fez um bom governo. No segundo, negligenciou. Não foi o mesmo. Porém, é ótimo gestor, por isso a dúvida sobre o porquê da queda de produção no segundo mandato.
Jordy, do PPS, só cresce a cada eleição. Nunca seu nome esteve envolvido em corrupção, é inteligente, possui ótimas idéias e, certamente, receberá uma oportunidade da parte de muitos eleitores de Belém.
Acredito que um dos dois será o prefeito de Belém em 2012. Caberá aos demais candidatos, apoiarem um ou outro, no primeiro ou no segundo turno. Os interesses definirão tudo. Edmilson poderá ter o apoio de PT e PC do B logo no primeiro turno. Jordy, acredito, deverá seguir com o PSDB. Resta saber se com um candidato a vice ou apoiando o candidato do PPS somente no segundo turno. Entre Edmilson e Jordy, pergunto: quem Duciomar apoiaria? O atual prefeito, entendo, jamais conseguirá eleger seu sucessor. Asfalto é bom, mas o eleitor de Belém, aos poucos, passou a querer mais. 

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

CARNES VERMELHAS AUMENTAM O RISCO DE DIABETES TIPO 2

Carnes brancas e grãos integrais reduzem o risco de diabetes tipo 2. O que já vem sendo falado aos quatro ventos, seja pelos médicos ou pelos meios de comunicação, agora recebe o respaldo de pesquisadores da Universidade de Harvard, em Boston, nos Estados Unidos. De acordo com o estudo, quem consome 100 g de carne vermelha diariamente, tem risco 19% maior de ter a doença, em comparação com quem consome menos.
Mas o alerta não para no bife. Os amantes de salame e mortadela terão que começar a repensar seus hábitos. De acordo com o estudo que vem sendo realizado desde a década de 70, 50 g, o que equivale a uma salsicha, podem aumentar em 51% o risco de diabetes. Foi constatado que quem come mais carne vermelha que a branca tem uma probabilidade muito maior de virar fumante, sedentário e, claro, sofrer com sobrepeso.
De acordo com especialistas, o “ferro-heme”, presente nas carnes vermelhas, causa danos às células beta do pâncreas, que produzem a insulina.
Saiba o que é a diabetes tipo 2
O tipo 2 (não insulino-dependente) atinge entre 80% e 90% dos diabéticos e ocorre na grande maioria dos casos entre os adultos. Neste tipo de diabetes a produção de insulina pelo pâncreas é normal, mas os tecidos do corpo se tornam resistentes à ação da insulina, impedindo a absorção da glicose pelo organismo, elevando, assim, a taxa de açúcar na corrente sanguínea.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

RETIRADA DE SÍMBOLOS RELIGIOSOS DOS LOCAIS PÚBLICOS


E-mail enviado por uma amiga

Ação do Ministério Público Federal que pede a retirada de símbolos religiosos nos locais públicos federais de São Paulo.
Sobre a decisão de retirarem a Cruz dos lugares públicos.
Que resposta bem dada de um padre consciente!
Espalhe que esta é boa....
NOTA DEZ. Esse Frade falou em nome de todos os cristãos.Sou Padre católico e concordo plenamente  com o Ministério Público de São Paulo,  por querer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas..
Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião.
A Cruz deve ser retirada !
Nunca gostei de ver a Cruz em tribunais, onde os pobres têm menos direitos que os ricos e onde sentenças são vendidas e compradas.
Não quero ver a Cruz nas Câmaras Legislativas, onde a corrupção é a moeda mais forte.
Não quero ver a Cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos são constrangidos e torturados.
Não quero ver a Cruz em prontos-socorros e hospitais, onde pessoas (pobres) morrem sem atendimento.
É preciso retirar a Cruz das repartições públicas, porque Cristo não abençoa a sórdida política brasileira,  causa da desgraça dos pequenos e pobres.

Frade Demetrius dos Santos Silva

São Paulo/SP


terça-feira, 16 de agosto de 2011

CURSO DE REDAÇÃO

O xará nem sonha que estou fazendo essa postagem, mas aponto, para você que pretende obter êxito no vestibular, o Curso de Redação do Professor João Carlos Pereira. São 100% de aprovação nas particulares, 98% na UEPA e na UFPA. Ligue 3222-7257 ou 81296885. Também há um e-mail: jcparis@orm.com.br
Eu recomendo!

LULA NUNCA FOI DE ESQUERDA

Pelo menos é o que garante o jornalista José Nêumane Pinto, autor do livro " O que eu sei de Lula". Nêumane considera Lula o maior político brasileiro de todos os tempo e, mesmo assim, assegura que ele é conservador o que, certamente, deixará aborrecido, um batalhão de gente acostumada a ver um Lula de esquerda.

O lançamento aconteceu ontem(16/08) no Rio de Janeiro e, em São Paulo, será dia 23. A editora é a Topbooks, são 522 páginas e custa R$ 69,00. Acredito que será muito procurado na XV Feira Panamazônica do Livro, no período de 02 a 11 de setembro em Belém do Pará. Mas antes disso, já comprarei o meu.

MAIS UM "NÃO" PARA JADER BARBALHO

Ministro Luiz Fux nega MS ajuizado por Jader Barbalho
O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou Mandado de Segurança (MS 30599) ajuizado pelos advogados de Jader Barbalho contra suposto ato omissivo do ministro Joaquim Barbosa, que não havia atendido a um pedido de retratação da decisão da Corte no Recurso Extraordinário (RE) 631102. Neste recurso, o Supremo não deferiu o registro de candidatura de Jader ao Senado Federal pelo Pará nas Eleições de 2010.
Na ocasião, em outubro de 2010, após empate na votação (uma vez que o ministro Eros Grau havia se aposentado), os ministros decidiram manter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral que negou registro de candidatura para Jader, com base na Lei Complementar (LC) 135/2010.

Posteriormente, já em março de 2011, com a chegada ao Supremo do ministro Luiz Fux, a Corte voltou ao tema no julgamento do RE 633703 e decidiu, por seis votos a cinco, que a chamada Lei da Ficha Limpa não devia ser aplicada ao pleito de 2010, por conta do chamado princípio da anterioridade da lei eleitoral (artigo 16 da Constituição Federal). Diante desse fato novo, a defesa de Jader Barbalho pediu ao relator do seu recurso, ministro Joaquim Barbosa, que exercesse juízo de retratação da decisão colegiada. Em maio, diante da alegada demora do relator em analisar o pedido, os advogados propuseram o mandado de segurança, para que fosse assegurado o exercício do mandato até a solução final do RE.
De acordo com a defesa de Jader Barbalho, todos os demais tribunais do país poderiam se adaptar à tese firmada no referido precedente, não havendo motivo para que fosse diferente quanto a esta Suprema Corte. Do contrário, diz o advogado, o impetrante se tornaria, na realidade, “o único candidato vencedor do pleito de 2010 ao qual se aplicaria a Lei Complementar 135/2010”.
Incabível
Em sua decisão, contudo, o ministro Luiz Fux afirma que o mandado de segurança é “manifestamente incabível”. Segundo ele, a jurisprudência do STF é invariável ao afirmar “o descabimento de mandado de segurança contra atos provenientes de seus órgãos colegiados ou mesmo de seus membros, individualmente, no exercício da prestação jurisdicional, porquanto impugnáveis somente pelos recursos próprios ou pela via da ação rescisória”.
Retratação
O MS foi ajuizado no STF em 9 de maio deste ano. Em 1º de junho, o ministro Joaquim Barbosa negou o pedido de retratação feito pelos advogados de Jader. Para Barbosa, não caberia ao relator, individualmente, exercer juízo de retratação de uma decisão colegiada.

DRª ELLEN CANDIDATA?

Outro dia, lendo um jornal da terra, fiquei sabendo que a inspetora-geral da Guarda Municipal de Belém e diretora-superintendente da CTBel, advogada Ellen Margareth de Souza, poderia concorrer à Prefeitura de Belém em 2012. Drª Ellen informa não ter filiação partidária mas já afirmou: "não posso dizer que desta água nunca beberei". Certinho. Vamos aguardar a confirmação ou não de seu nome e de outros mais. A eleição está logo ali. Até eu estou pensando em...brincadeirinha.  

A MARCHA DAS MARGARIDAS


A marcha acontecerá no período de 16 a 17 de agosto. Amanhã, quarta-feira, a Presidente Dilma Roussef estará com 100 mil mulheres de todo o Brasil na Esplanada dos Ministérios.
A Marcha das Margaridas é promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
O QUE É A MARCHA DAS MARGARIDAS
          É uma ação estratégica das mulheres do campo e da floresta para conquistar visibilidade, reconhecimento social e político e cidadania plena.

          A Marcha das Margaridas se consolidou na luta contra a fome, a pobreza e a violência sexista e sua agenda política de 2011 tem como lema desenvolvimento sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade.

          Coordenada pelo Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais composto pela Confederação Nacional de Trabalhadores na Agricultura – Contag, por 27 Federações – Fetag’s e mais de 4000 sindicatos, sua realização conta com ampla parceria.

          Em 2011, as mulheres trabalhadoras rurais, mais uma vez, estarão nas ruas, em movimento, para protestar contra as desigualdades sociais; denunciar todas as formas de violência, exploração e dominação e avançar na construção da igualdade para as mulheres.
          Junte-se a nós. Assuma o compromisso com a luta da Marcha das Margaridas de 2011. Venha marchar por desenvolvimento sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade para todas as mulheres.
          A maior mobilização de mulheres trabalhadoras rurais do campo e da floresta do Brasil tem esse nome, como uma forma de homenagear a trabalhadora rural e líder sindical Margarida Maria Alves.

          Margarida Alves é um grande símbolo da luta das mulheres por terra, trabalho, igualdade, justiça e dignidade. Rompeu com padrões tradicionais de gênero ao ocupar por 12 anos a presidência do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Alagoa Grande, estado da Paraíba. À frente do sindicato fundou o Centro de Educação e Cultura do Trabalhador Rural. A sua trajetória sindical foi marcada pela luta contra a exploração, pelos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, contra o analfabetismo e pela reforma agrária. Margarida Alves foi brutalmente assassinada pelos usineiros da Paraíba em 12 de agosto de 1983.

Literatura e Fotografia de Tiago Santana na Feira do Livro

A estreita relação entre literatura e fotografia será um dos temas abordados pelo fotógrafo do Crato, Tiago Santana, que marca presença no quarto maior evento literário do Brasil no dia 11 de setembro, às 19h, no Coliseu das Artes, no Hangar – Convenções e Feiras da Amazônia. A entrada é franca.
Na fotografia de Tiago Santana, a representação de cada lugar, de cada espaço e sua dimensão no todo. Na imagem, um universo povoado de elementos carregados de significações, espaço do homem do sertão, de sorrisos áridos, de gesto firme marcado pela religiosidade, onde estão o peculiar e o exótico.
Tiago Santana fez de seu lugar, não mais só seu, compartilhando-o através da fotografia. “O sertão é onde a população nos ensina a reinventar a vida a todo instante. Um lugar onde a paisagem tem uma forma enorme, mas só tem sentido com a presença do homem. É isso que me interessa: a relação do homem com seu lugar. O lugar onde descobri o mundo e onde vivo até hoje”, reflete o fotógrafo.
A relação literatura e fotografia, trabalhadas por Tiago Santana, é resultado de fotogramas feitos em mais de duas décadas e que revelam o afeto e o respeito por seus personagens enquadrados. Nesse tempo, fundou a Editora Tempo d’Imagem, para viabilizar a publicação de livros voltados à fotografia. “O livro é o lugar onde a obra de um fotógrafo encontra a sua forma mais plena e que cumpre a melhor a função da imagem como obra múltipla”.
Este enlace fica mais visível com o lançamento do livro “Chão de Graciliano”, com imagens de Tiago Santana e textos de Audálio Dantas, que traz a mistura das letras com a fotografia pelos caminhos apontados na obra de Graciliano Ramos, mostrando o nordeste de suas narrativas. O livro já foi traduzido para duas línguas e em 2008 ganhou o prêmio de melhores do ano pelo APCA - Associação Paulista de Críticos de Arte, reconhecendo e a poética do trabalho.
Neste ano o fotografo lançou o livro “Patativa de Assaré – O Sertão dentro de mim”, contando em imagens a história de um dos maiores poetas e músicos do sertão. Patativa é a personificação da sua região, representando a vida, os anseios e as dúvidas do homem sertanejo.
Taynah Moraes - Ascom/Secult

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O PROBLEMA É A IMPRENSA

Outro dia conversava com uma professora, uma amiga e já faz tempo. Na ocasião, dizia a ela que o PT não é mais o mesmo. Votei mais de 20 anos no partido e, aos poucos, vi que muita coisa mudou e passei a não mais confiar como em outrora. Ainda têm uns bons, mas a maioria...

Mostrei o excesso de broncas em que o partido estava metido. Sozinho ou com partidos aliados. Acusações de todos os lados e o quanto Dilma estava penando para conviver com ataques da oposição e chantagens inclusive da base aliada e membros do próprio Partido dos Trabalhadores, pela dura que estava dando nos senhores do PR. Foi aí que a amiga, discordando do meu pensar, disse que não era bem assim...o problema era a imprensa...o grande inimigo era a imprensa que somente atacava o governo. 

A amiga é petista roxa, daquelas que, embora seja gente maravilhosa, quando o assunto é PT, a mesma não consegue fazer uma análise crítica e admitir que o partido mudou, embora ainda tenha gente que fique longe do que motiva os críticos a partirem para as denúncias. A amiga ainda é do tipo que coloca a culpa nas elites, esquecendo que muita gente no PT hoje é elite e faz qualquer negócio para se manter no poder. 

Depois que inventaram a tal da governabilidade, agora tudo pode. Não há problemas em fechar com Sarney, Collor, Renan Calheiros e outros tidos como inimigos políticos mortais no passado. 

Cansei de ouvir lideranças petistas por todo o Brasil criticando a tal elite, dando nome aos seus membros e hoje, bem, hoje, tudo foi esquecido. Qulaquer aliança é válida para se alcançar e se manter agarrado ao poder. 

Vejo com bons olhos a luta de Dilma. Mas a situação não é fácil. Dar uma vassourada em quem é acusado de corrupção é tarefa indigesta, pois mexe com interesses de quem dá apoio ao governo. É um constante pisar em ovos, o que faz com que eu não espere significativas mudanças no Brasil e, principalmente, dentro do governo, no tão importante aspecto de nossa sociedade: o aspecto ético. Falar em ética é, acima de tudo, valorizar, levar em consideração a figura do outro. Mas para os detendotes do poder nesse país, o outro, nem sequer é um detalhe. O interesse mesmo é o meu, e pronto!

Sei que não estou sozinho nesta maneira de pensar. E uma demonstração clara será a eleição em 2012 para a prefeitura de Belém. Aqui, neste pedaço da Amazônia, principalmente após o governo fraquinho do PT no comando do Estado do Pará, o partido não tem nome forte para suceder Duciomar Costa e, para não passar vergonha (e não tem jeito), terá que aceitar ser vice de Edmilson do PSOL e eleger uma forte bancada. Mas para ganhar a prefeitura, com candidatura própria, não dará certo. Se concorrer, certamente sequer chegará ao segundo turno. Edmilson, Jordy(PPS) e o Tucano Flexa Ribeiro são nomes fortes no momento. 

É verdade que os acusados nos ministérios são, até aqui, na maioria, de outros partidos, mas o PT está junto, né? É o governo que apanha e a Presidente Dilma sofre. E deve, nos bastidores, ficar muito aborrecida por não fazer o que ela realmente gostaria, ou seja, passar tudo a limpo. É a governabilidade. Enquanto isso, a tal base aliada só pensa na liberação do dinheiro...o dinheiro das emendas. E sem emendas, cruzam os braços e não votam em mais nada...hum...com essa base aliada, não é preciso ter oposição.  

DEM está recolhendo assinaturas para CPI mista da corrupção

O DEM já está recolhendo assinaturas para instalar uma comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI), com a participação de deputados e senadores, para investigar as recentes denúncias de corrupção no governo.
Segundo o líder do Democratas, Antônio Carlos Magalhães Neto (BA), todos os parlamentares serão convidados a assinar o pedido de CPI, inclusive os filiados aos partidos da base governista.
ACM Neto destaca que a CPI não vai focar um determinado ministério, mas todas as supostas irregularidades. "Vamos recolher todas as denúncias ocorridas nos últimos dias e reunir em uma única CPI. Ela tem fato concreto, tem objeto determinado, como manda a Constituição Federal, e nós vamos apurar, investigar todos esses pontos. Já não é mais de um ministério, de um partido político, é do governo. Por isso é que a CPI vai procurar dar respostas a todas essas denúncias que aconteceram."
Ressalvas
O presidente da Câmara, Marco Maia, vê com ressalvas a instalação de uma CPI neste momento. "Os órgãos públicos estão trabalhando, estão atuando, estão construindo investigações que são importantes para o País. Não acho que uma CPI neste momento possa ajudar ou contribuir para a solução desses problemas."
O líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), criticou o comportamento da oposição, que não compareceu ao depoimento do ministro das Cidades, Mário Negromonte, prestado na quarta-feira de audiência da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara.
Vaccarezza sinalizou que não acredita na instalação da CPI. "Eu estou ouvindo falar de CPI desde quando começou esta legislatura."
Para ser instalada, a CPI mista precisa do apoio de 171 deputados e 27 senadores. Para acompanhar andamento do recolhimento das assinaturas é só acessar a página cpidacorrupcao.blogspot.com.
Reportagem - Idhelene Macedo / Rádio Câmara
Edição Regina Céli Assumpção

ANA JÚLIA VEREADORA?

Pelo menos é o que fiquei sabendo através de um jornal de Belém. O colunista afirma que Ana será candidata à vereadora em 2012, já de olho em uma excelente votação. Certinho.

Prorrogado prazo de atualização cadastral dos servidores públicos


Foi prorrogado até o dia 31 de agosto de 2011 o período de realização da atualização cadastral dos servidores públicos ativos civis e militares do Poder Executivo Estadual, sob a responsabilidade da Secretaria de Estado de Administração. A atualização cadastral objetiva atualizar as informações pessoais e funcionais dos servidores civis e militares ativos, para subsidiar a formulação de políticas de recursos humanos do Estado do Pará e a execução de ações do Programa de Valorização do Servidor. Para realizar o processo de atualização, os servidores devem acessar o Portal do Servidor, no endereço eletrônico http://www.portaldoservidor.pa.gov.br/.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Câmara lança programa para professores do Ensino Médio de escolas públicas

Prorrogadas até 12 de agosto as inscrições para o Programa Missão Pedagógica no Parlamento, que visa promover a formação em educação para a democracia. 

Professores interessados em aprender e socializar saberes sobre como fortalecer a escola por meio de práticas democráticas e cidadãs podem se inscrever no Programa Missão Pedagógica no Parlamento. Desenvolvido pelo Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento da Câmara dos Deputados, o programa vai selecionar 54 professores de todo o Brasil – dois de cada estado e do DF - para participar de um treinamento que vai abordar temas relativos às instituições democráticas, cidadania, política e educação para democracia nas escolas.
Os docentes participarão de aulas dialogadas, palestras, visitas, oficinas pedagógicas, oficinas temáticas e rodas de conversa, privilegiando sua participação ativa, a integração entre a teoria e a prática e a troca de experiências. A Câmara vai arcar com as seguintes despesas dos participantes: passagem aérea de ida e volta (Estado de origem/Brasília/Estado de origem); hospedagem em hotel; alimentação durante a realização do programa e traslado entre o hotel e o local de realização das atividades do programa. Os locais de hospedagem e alimentação serão determinados pela Casa.
Para participar, o candidato deve mandar para a Câmara dos Deputados os seguintes documentos: ficha de inscrição e declaração de compromisso; cópia do documento de identidade oficial e do CPF; cópia do diploma, certificado ou declaração de conclusão do curso de graduação em nível superior; declaração de tempo de serviço e relato de experiência pedagógica na qual tenha trabalhado com seus alunos temas relacionados à democracia, cidadania ou política.
O programa acontece entre os dias 2 e 8 de outubro de 2011, com início das atividades às 8h e término às 20h. O resultado da seleção estará disponível no site da Educação Legislativa da Câmara dos Deputados . Acesse a página do Programa Missão Pedagógica no Parlamento onde estão disponíveis: edital, ficha de inscrição, termo de compromisso, declaração de tempo de serviço e declaração de participação em Conselho.
Serviço
Programa Missão Pedagógica no Parlamento
Inscrições: até 12 de agosto
Mais informações: Coordenação de Educação para a Democracia.
E-mail: nudem.cefor@camara.gov.br / telefones: (61) 3216-7618 ou (61) 3216-7619
Fonte: http://www2.camara.gov.br/noticias/institucional/noticias/camara-lanca-programa-para-professores-do-ensino-medio-de-escolas-publicas

A Obra de Chico Buarque em Destaque na Feira do Livro

Quais as relações possíveis entre a música e a literatura na obra de Chico Buarque de Hollanda? Como a força da Música Popular Brasileira pode atrair a curiosidade na formação de novos leitores?

Estas e outras questões estão na pauta do Ciclo Literatura e Música, que acontece durante XV Feira Pan-amazônica do Livro, no dia 3 de setembro, no Café das Letras, com a palestra da escritora Maria Stella Pessôa.
“Nosso objetivo é despertar o interesse da literatura brasileira e mundial por meio da ligação entre o livro e a música de grande penetração popular, no caso, das composições de Chico Buarque”, explica Maria Stella Pessôa, que vem realizando ensaios e pesquisas sobre a obra do compositor, com publicações inseridas no site oficial do artista.
Na identificação dos paralelos entre a produção literária e a música popular, temos vários exemplos, entre eles a obra de Carlos Drummond de Andrade (Quadrilha). Em 1975, Chico Buarque e Paulo Pontes fizeram uma peça chamada ‘Gota d'água’. Uma das músicas, que mais tarde seria gravada para um disco da Bibi Ferreira, chamava-se "Flor da Idade" e claramente trazia um diálogo com Drummond no trecho:
‘Carlos amava Dora que amava Pedro que amava tanto que amava a filha que amava Carlos que amava Dora que amava toda a quadrilha’
Na obra de Gonçalves Dias (Canção do Exílio), a intertextualidade pode ser observada na parceria entre Chico Buarque e Tom Jobim em ‘Sabiá’, composta para o III Festival Internacional da Canção em 1968, e vaiada injustamente em comparação equivocada com uma canção de Geraldo Vandré. Em Sabiá’, Chico evoca o exílio com o texto original de Gonçalves Dias.
Outro bom exemplo é a canção ‘Impossible Dream’, de Mitch Leigh e letra de Joe Darion, com base no romance Dom Quixote, de Miguel Cervantes para o musical O Homem de La Mancha. A versão der Chico Buarque e Ruy Guerra é mais curta e ganhou força na voz de Maria Bethânia.
As interfaces entre a música de Chico Buarque e a literatura também podem ser observadas nas aliterações e neologismos encontrados na obra de Guimarães Rosa em “Pedro Pedreiro”, José de Alencar em ‘Iracema voou’, Sérgio Buarque de Hollanda em ‘Cobra de vidro’, entre outras canções que serão citadas durante a palestra da escritora.
Chico Buarque, mais conhecido como músico e compositor, mantém sua verve literária desde os anos 60. Ainda adolescente, publicou suas primeiras crônicas no Verbâmidas, jornal do Colégio Santa Cruz e o conto ‘Ulisses’ no jornal O Estado de São Paulo, incorporado depois no primeiro livro, chamado ‘A banda’, que trazia manuscritos de suas primeiras canções.
Nos anos 70 é publicada a novela ‘Fazenda Modelo’ e ‘Chapeuzinho amarelo’, e na década seguinte ‘A bordo do Rui Barbosa’, poema ilustrado por Vallandro Keating. A partir dos anos 90, a produção musical literária ganha adaptações cinematográficas: Estorvo (1991), Benjamim (1995), Budapeste (2003). Seu último romance, Leite derramado (2009), marca a nova fase do Chico escritor.
Augusto Pacheco - Ascom/Secult
Fonte: http://www.secult.pa.gov.br   

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TSE aprova envio de forças federais para garantir a ordem durante o Plebiscito no Pará

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou na sessão administrativa desta terça-feira (9) o envio de forças federais para garantir a tranquilidade do plebiscito que decidirá sobre o desmembramento do Estado do Pará para a criação dos Estados de Tapajós e Carajás, a ser realizado no dia 11 de dezembro.

As forças federais irão para 14 municípios: Altamira, Brasil Novo, Monte Alegre, Santarém, Alenquer, Óbidos de Juriti, Marabá, Oriximiná, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Tucumã, Orilândia do Norte, Pacajá e Anapu.

Segundo a relatora do pedido, ministra Cármem Lúcia Antunes Rocha, a solicitação foi feita pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), com base no relato do secretário de Segurança Pública do Estado, Luiz Fernandes Rocha. A ministra acentuou que a área é historicamente conflitante pelo intenso fluxo migratório, inclusive com atritos de natureza fundiária.

O presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, acentuou que, no passado, 104 municípios do Pará demandavam a requisição de forças federais, mas esse número diminuiu para 16. Salientou que o dado é importante porque o custo do deslocamento das forças federais para os Estados oneram o orçamento do TSE.
Fonte:
http://agencia.tse.gov.br/sadAdmAgencia/noticiaSearch.do?acao=get&id=1404526

Sorteio define ordem das perguntas do Plebiscito no Pará na urna eletrônica

Durante sorteio realizado na sessão administrativa desta terça-feira (9), ficou decidido que as perguntas que orientarão o Plebiscito no Estado do Pará, para a criação dos Estados de Tapajós e Carajás, serão feitas na seguinte ordem na urna eletrônica: primeiro aparecerá a pergunta “Você é a favor da divisão do Estado do Pará para a criação do Estado do Tapajós?”. Depois aparecerá a questão “Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado do Carajás?”.

No segundo sorteio ficou definido que para votar SIM, o eleitor paraense deve digitar 77, e para responder NÃO o número a ser teclado é 55. Caso responda SIM, o eleitor estará sendo favorável à divisão do Pará para a criação de Tapajós ou Carajás. Se for contrário, deve votar NÃO. Cada pergunta é independente da outra e, portanto, o eleitor deverá responder às duas, uma de cada vez.

Na eventualidade de alguma falha em urnas eletrônicas serão usadas cédulas de papel. O sorteio definiu que a cédula branca terá a pergunta: “Você é a favor da divisão do Estado do Pará para a criação do Estado de Carajás?". Já a cédula amarela terá a pergunta: “Você é a favor da divisão do Estado do Pará para a criação do Estado de Tapajós?”.

No último caso, o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, lembrou que, nas eleições gerais de outubro de 2010, o percentual foi de apenas 0,004% de máquinas defeituosas em todo o país.

O sorteio foi feito pela vice-procuradora-geral eleitoral Sandra Cureau e realizado no plenário do TSE, em sessão administrativa.

O plebiscito no Pará consultará todos os eleitores paraenses acerca do desmembramento do Estado. Os eleitores devem comparecer à sua respectiva seção eleitoral das 8h às 17h do dia 11 de dezembro. Quem não comparecer terá de justificar a ausência no prazo de 60 dias após a votação.

BB/LF
Fonte:
http://agencia.tse.gov.br/sadAdmAgencia/noticiaSearch.do?acao=get&id=1404527

Curso de extensão: Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares

Extensão, Universidade e
Movimentos Sociais: Pensando práticas conjuntas através da Educacão Popular

O curso tem como objetivo apresentar a  Extensão Universitária e a
Educação Popular como canal de diálogo com movimentos sociais e a
possibilidade de construção de  conhecimentos acadêmicos  relevantes
às realidades enfrentadas. A proposta desse espaço é apresentar
metodologias de trabalho e experiência de projetos de extensão
universitária,   grupos produtivos da Economia Solidária e outros
movimentos socias.
   O curso abordará temas como: Autogestão, Educação Popular, Tecnologia
Social, Agroecologia, Gênero, Economia Solidária e será direcionado
para pessoas que trabalham ou tem interesse em trabalhar com extensão
universitária e que tem objetivos de atuar em projetos sociais a
partir de sua formação. O curso prevê troca de experiências com
movimentos sociais, tais como MST, Movimento Nacional de Catadores,
Coletivos de Comunicação e Redes de Economia Feminista bem como
visitas à assentamentos da reforma agrária da região de Campinas.
Período: 20 de agosto à 26 de novembro de 2011
Horário: Sábados das 09:00 às 18:00 hs
Inscrição: Até 08 de agosto
O interessado deve enviar currículo e ficha de inscrição para o e-mail:
curso@itcp.unicamp.br
Maiores informações no site: www.itcp.unicamp.br

Educação pública e o fim da miséria

Artigo de Luiz Leduino de Salles Neto publicado no Jornal da Tarde de terça-feira (2).
A participação das universidades públicas no programa Brasil sem Miséria, recém lançado pelo governo federal, está sendo, paradoxalmente, subestimada. De fato, no caderno Brasil sem Miséria, que apresenta o programa, há apenas duas citações referentes às universidades: uma relacionada à assistência técnica no campo, outra que trata da compra de produtos da agricultura familiar.
Em contrapartida, no discurso de lançamento do programa, a presidente Dilma citou a grande ampliação de vagas nas universidades federais e afirmou "que a educação é o melhor caminho para fazer as pessoas saírem, de forma definitiva, da pobreza". É nesse sentido que as universidades públicas devem ganhar importância no programa, não só pelos estudos e tecnologias que produzem e acarretam a melhoria de vida da população, mas como um espaço de formação e inclusão daqueles que vivem em uma situação de miséria extrema.
Mais do que um sonho, uma utopia ou um objetivo para o futuro, isso já vem acontecendo nas universidades públicas brasileiras. Para exemplificar, vale citar o processo de expansão da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) restrita a um campus na cidade de São Paulo desde a fundação da Escola Paulista de Medicina em 1933, com o processo de expansão iniciado em 2005 saltou de pouco mais de 1000 para 8000 alunos de graduação distribuídos em seis campi.
No campus da Unifesp em Guarulhos, por exemplo, 63% dos alunos ingressantes em 2011 cursaram integralmente o ensino médio em escola pública. Dentre os estudantes atendidos pelo Programa de Auxílio Permanência, que busca viabilizar a manutenção de alunos oriundos da escola pública e com renda familiar per capita de até 1,5 salários mínimos, há desde filhos de contemplados pelo programa bolsa-família, até os próprios beneficiários. Vale destacar esse fato: o programa bolsa família é também um programa de assistência estudantil para o presente, não só para o futuro.
Contudo, para garantir a permanência de alunos em situação sócio-econômica vulnerável na universidade, um programa de assistência estudantil deve oferecer mais do que auxílios financeiros, moradia, transporte e restaurantes universitários, como também apoio pedagógico, acesso à cultura, esporte, inclusão digital, acessibilidade, atenção à saúde, ações previstas no Plano Nacional de Assistência Estudantil (decreto 7234 de 19 de julho de 2010), um marco ainda pouco comentado na educação pública do País.
A bola está em nossas mãos. Mais da metade da população em situação de miséria extrema tem até 19 anos. Com a continuidade dos programas de assistência estudantil e sua articulação com o programa Brasil sem Miséria, a porta para um futuro promissor estará aberta a um número cada vez maior de jovens brasileiros. Craques da ciência certamente serão revelados. Bom para todos!
Luiz Leduino de Salles Neto é doutor em Matemática e pró-reitor de Assuntos Estudantis da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Site do programa Ciência sem Fronteiras já recebeu mais de 200 mil acessos

Programa permite aos estudantes brasileiros estagiar em instituições de ensino de ponta de outros países e também atrair pesquisadores estrangeiros.
No ar desde o último dia 28, o site (http://www.cienciasemfronteiras.cnpq.br/web/guest/home) contendo as regras e o detalhamento do programa Ciência sem Fronteiras já recebeu mais de 200 mil acessos segundo a assessoria do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os primeiros editais, no entanto, só devem ser publicados nos próximos dias.
 
Idealizado como forma de estimular o intercâmbio estudantil internacional entre alunos de graduação e pós-graduação, o programa prevê que o CNPq, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e outras agências de fomento federais e estaduais concedam até 75 mil bolsas de estudo nos próximos quatro anos. A iniciativa tem custo estimado em R$ 3,1 bilhões.
 
Somente o CNPq espera atender a 3.890 estudantes brasileiros este ano; a 6.140 em 2012, 10.230 em 2013 e 14.740 em 2014. São 15.500 bolsas de graduação sanduíche no exterior, 10.700 de doutorado sanduíche no exterior e 1.940 de doutorado pleno no exterior. Para pesquisadores, serão 5 mil bolsas de pós-doutorado e 660  de estágio sênior no exterior.
 
Além disso, o governo federal também quer incentivar a iniciativa privada a custear outras 25 mil bolsas, beneficiando até 100 mil estudantes de cerca de 20 áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento nacional.
 
Além de permitir aos estudantes brasileiros estagiar em instituições de ensino de ponta de outros países, a meta é atrair pesquisadores estrangeiros que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com pesquisadores brasileiros e promover a volta de cientistas que deixaram o país em busca de melhores condições de trabalho e pesquisa.
 
Ao participar na última quinta-feira (28) do programa de rádio Bom Dia, Ministro, feito pela EBC Serviços em parceria com a Secretaria de Comunicação da Presidência da República, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, já havia antecipado que o programa terá quatro modalidades de bolsas e que o principal critério de seleção para os alunos de graduação será a nota do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), em que o aluno deverá alcançar no mínimo 600 pontos.
(Agência Brasil - 1/8)

Conheça o CEPAPA e saiba mais da cultura africana

Visitem a webpage http://cepapa.blogspot.com

Desenvolvemos trabalho voltados a cultura africana e afro descendente.
Em nosso blog você terá acesso a textos, imagens e vídeos, fazendo com que conheça informações sobre a cultura e a dificuldade de valorizar a ancestralidade.

Qualquer dúvida ou sugestão mande email para:
centropanafricano@gmail.com
cepapa@googlegroups.com

Ewerton Evangelista da Silva
Diretor Geral do Centro de Estudos Pesquisa Pan-Africano - CEPAPA.

Edital ETRB(concurso)

Amigos,
O salário é inicial de mais de R$5.000,00
Divulgue às pessoas que possam ter interesse.
Obrigada
Silvia Israel
Site do Edital do concurso para Escolas Militares (ETRB)
 http://www.fab.mil.br/portal/hotsites/engmil/avisos/ensino_19_jul_2011.pdf

VII FESTIVAL DE MÚSICA ARTE NA ESCOLA DA GENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTARÉM
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E DESPORTO – SEMED
PROJETO ARTE NA ESCOLA DA GENTE

 
Convite

A Prefeitura Municipal de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Desporto- SEMED, convida V.Sa. para prestigiar o VII FESTIVAL DE MÚSICA ARTE NA ESCOLA DA GENTE, um concurso de cantores mirins realizado com alunos (as) da Rede Municipal de Ensino.Este evento valoriza a arte, a cultura e comemora a passagem do “Dia do Estudante”.

Data: 11 de agosto de 2011
Local: Praça Barão de Santarém
Horário: 19h00
José Cândido Corrêa de Araujo (093)9129-5405
Coordenação do Projeto Arte na Escola da Gente

SARAU LITERÁRIO

Belém, 08 de agosto de 2011.


PREZADOS GESTORES/EDUCADORES:


A SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA (SECULT), tem a honra de cumprimentá-los, vem por meio deste, informar que o Governo do Estado do Pará por intermédio da Secretaria de Estado de Cultura, realizará a XV Feira Pan-Amazônica do Livro, no período de 02 a 11 de setembro de 2011, no Hangar Centro de Convenções e Feiras, em Belém do Pará, tendo como objetivo promover o acesso à leitura, divulgar a literatura universal em suas diversas linguagens, fomentar o intercâmbio entre escritores, professores e literatos, além de estimular o mercado editorial e livreiro regional e nacional.
Como primeira atividade pedagógica da XV Feira Pan-Amazônica do Livro, temos o prazer de convidar essa instituição de ensino a participar do 2º SARAU LITERÁRIO no dia 10 de agosto de 2011 (Quarta- Feira) às 19h, com o tema: “Os Rebeldes: A Cabanagem nas letras de Inglês de Sousa”. Palestrante: Drª Denise Simões (UEPA). Apresentador: Carlos Correia Santos, no Teatro Estação Gasômetro, no Parque da Residência. Público Alvo: Alunos e Professores do Ensino Médio SEDUC, SEMED, Rede Privada, Universidades e Faculdades. No encerramento do evento será feito uma apresentação do Grupo Cênico Companhia do Sarau, contracenando as belezas da obra literária de Inglês de Sousa, pois Teatro e música serão fios condutores das performances.
Certos de que a concretização dessa parceria será fundamental ao êxito de mais uma ação pedagógica da Feira Pan-Amazônica do Livro, antecipadamente agradecemos.
Atenciosamente
Sandra Alves
Técnica em Gestão Cultural – Historiadora- SECULT
Feira Pan-Amazônica do Livro - SECULT

sábado, 6 de agosto de 2011

Por que somos curiosos?

Por que a curiosidade matou o gato?
Na Idade Média, as pessoas faziam armadilhas para matar gatos
porque acreditavam que os bichanos, principalmente os pretos, davam azar.
Curiosos, os animais aproximavam-se das armadilhas e, quando mexiam
no dispositivo, este era acionado e eles morriam. Foi daí que surgiu aquele
ditado, “A curiosidade matou o gato”, significando que a curiosidade pode ter
consequências desastrosas.
O bem e o mal
Mas nem sempre a curiosidade – que existe em quase todas as
espécies animais – é prejudicial. É graças a ela que os seres humanos fazem
suas descobertas. Por exemplo, se não fosse a curiosidade dos navegadores
portugueses, o Brasil não teria sido descoberto. A aviação, as viagens
espaciais, os antibióticos, enfim, tudo o que o Homem descobriu ou inventou
deve-se à curiosidade, um instinto natural e, em princípio, benéfico.
Chamam-se também de “curiosidades” certos fatos pitorescos e fora do
comum. Por exemplo, é curioso saber que, em um único segundo, o Sol
libera mais energia do que toda aquela que a humanidade consumiu
desde que surgiu sobre a Terra até hoje.

Curiosidade mórbida
Existem limites para a curiosidade, estabelecidos pela ética social. Não
é lícito, por exemplo, espiar aquela prima bonita trocando de roupa pelo
buraco da fechadura e nem bisbilhotar o apartamento do prédio vizinho com
um binóculo. Xereta, enxerido, intruso, bicão e chato de galocha são alguns
nomes com os quais se xinga, merecidamente, quem gosta de espionar a
vida alheia.

O CÍRIO E AS PEREGRINAÇÕES

Católicos já se preparam para o grande momento de fé que é o Círio de Nazaré. A festa ocorre em outubro mas, no próximo dia 15, cem mil livros de peregrinação serão entregues aos dirigentes das paróquias de Belém. A entrega será no Hangar e, dia 17, às 20h, haverá a Missa do Mandato, na Basílica de Nazaré, ocasião em que o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, abençoa a imagem da Virgem. Após o término da missa serão iniciadas as peregrinações nas residências católicas até o período do Círio. 
A procissão sempre é realizada pelas ruas de Belém do Pará  no segundo domingo de outubro e, na atualidade, também acontece em outros estados do Brasil. É possível que logo ocorra a procissão em todos os estados do país. Falar em Círio é lembrar de fé, reunião familiar e do famoso pato no tucupi. Quando a situação financeira do paraense não permite a compra do pato, há outras alternativas. Mas o principal não falta: o fortalecimento da fé e dos laços familiares.

ONGs lançam comitê e abaixo-assinado contra novo Código Florestal

Flávia Albuquerque

Integrantes de 97 organizações da sociedade civil, movimentos sociais, parlamentares e ex-ministros participaram hoje (5), na capital paulista, do lançamento do Comitê Paulista em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável Contra o Projeto de Lei Complementar 30/2011, que altera o Código Florestal Brasileiro. Também foi lançado um abaixo-assinado contra o projeto do novo código.
A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva disse que o comitê dá a oportunidade de as pessoas saírem do papel de observadoras e para passar a agir. Ela citou uma pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada em junho, que constatou que 79% da população têm posição contrária ao texto do senador Aldo Rebelo (PCdoB-SP), relator do projeto. “Espero, sinceramente, que consigamos mobilizar as pessoas para que elas deem sustentabilidade política aos 81 senadores. Eles podem fazer uma atualização do Código Florestal à altura das necessidades do Brasil”.
João Paulo Rodrigues, representante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), disse que o momento é propício não só para fazer o debate sobre as mudanças no Código Florestal como para incluir outros segmentos na discussão. “Nós, do campo, pequenos agricultores, não fomos consultados. A referência de agricultura que foi consultada é a do grande agronegócio que tem como principal base a monocultura, o uso demasiado de agrotóxicos e, acima de tudo, a depredação do meio ambiente”.
O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) enfatizou que o novo Código Florestal atenta contra o interesse coletivo nacional. “O que está em jogo nessa proposta não é um problema só ambiental ou agrícola. Está em jogo a vantagem comparativa de uma nação e um processo histórico que conservou grande parte de sua biodiversidade, florestas, água e solo e que pode ser uma potência. Está em jogo também o modelo agrícola e agrário”.
O ex-ministro da Fazenda Rubens Ricupero lembrou que o Código Florestal pode trazer ainda consequências internacionais ao país, como a repercussão negativa da aprovação do texto na Rio+20 - Conferência das Nações Unidas em Desenvolvimento Sustentável. “Isso não se limita a uma questão só de de imagem ou do fracasso anunciado de uma conferência. É que existem compromissos inúmeros que o Brasil assumiu em fóruns internacionais que podem se tornar inviáveis caso determinadas mudanças incluídas no projeto da Câmara sejam consagradas no texto final”, alertou. 

Secretários Nilson Pinto e Claudio Ribeiro se reúnem com servidores da Seduc

A continuidade no trabalho de melhoria da qualidade da educação e os desafios para o alcance dessa meta conduziram o encontro, na manhã desta quinta-feira (4), na sede da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), entre os executivos da instituição e dezenas de servidores. Na ocasião, o secretário especial de Promoção Social, professor Nilson Pinto agradeceu o empenho dos profissionais da educação. Ele esteve a frente da Rede Estadual de ensino durante os primeiros sete meses deste ano.

Foi o momento em que o novo secretário de estado de Educação, Cláudio Ribeiro, reiterou o compromisso com a melhoria da qualidade do ensino e que o Luiz Acácio Centeno foi apresentado, oficialmente, como o novo secretário- adjunto de Ensino. Os secretários-adjuntos de Logística, José Croelhas; e de Gestão Waldecir Costa, estiveram também no encontro.

“Nos primeiros meses, um dos avanços foi a produção de um diagnóstico dessa máquina e da verificação dos pontos de 'estrangulamentos' que a Rede Estadual enfrenta no fluxo de seu trabalho”, disse Nilson Pinto, que destacou algumas ações “já são visíveis: a melhoria da estrutura da escolas que, no início do ano, encontravam-se em condições mais que graves, 'gravíssimas'”, por exemplo. “De lá para cá, muitas coisas mudaram. E para melhor”, enfatizou. Ele reiterou que, com a Secretaria Especial, o fluxo das demandas da Rede Estadual será mais fluido.

“A Seduc tem a necessidade de se assumir como, de fato, a líder do sistema educacional do Estado do Pará, cuidando não só das nossas escolas, mas também das públicas municipais e das privadas. A expansão da oferta de vagas, a qualificação de pessoal, a reforma das escolas - sobretudo as que foram encontradas em situação mais crítica, dar melhor condições de trabalho, entre outras ações, são os objetivos que têm pautados as atividades da Secretaria”, adicionou o titular da Secretaria de Promoção Social.

Esse compromisso foi reiterado pelo secretário adjunto de Ensino, Luiz Acácio Centeno, que estava a frente da Diretoria de Ensino Médio e Educação Profissional (Demp). “Temos muito trabalho, que vai muito além da expansão do ensino fundamental e do médio. E temos a motivação de poder contar com todos que fazem a educação na Rede Estadual para que possamos fazer, efetivamente, fazer da educação do Pará algo que possa ser copiado por outros Estados”, disse.

O secretário adjunto de Ensino também destacou os investimentos na Educação Profissional: “hoje, temos 14 Escolas Técnicas e Profissionais, outras 11 estão em construção. Soma-se a elas, sete que serão construídas por conta do projeto com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e mais três que estão previstos na Agenda Mínima. Ou seja, a Rede Estadual chegará ao número de 35 escolas de educação profissional”.

PCCR - A implementação do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) foi reafirmada durante o encontro e será realizada a partir de outubro. Agora em agosto, a Seduc iniciará o processo de atualização cadastral de todos os servidores, etapa em que será seguida do enquadramento de todos os profissionais nos perfis do Plano. Para o secretário Cláudio Ribeiro, o PCCR “é uma condição essencial”, reiterando que o projeto para a educação é “rigorosamente” o mesmo. “Não adianta apenas expandir a quantidade de vagas, precisamos garantir a qualidade do ensino. Já conseguimos sair da inércia. Ninguém consegue enfrentar o desafio de melhorar a qualidade da educação sozinho. Ele envolve a todos: não só aqueles que aqui trabalham, como todas as escolas e, principalmente, toda a comunidade escolar”.
Texto – Mari Chiba
Fotos – Advaldo Nobre

Ascom/Seduc