Translate

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

JESSÉ: PORTO SOLIDÃO

JESSÉ: VOA LIBERDADE.

COMÉRCIO E PÁSCOA.

Após as festas de final de ano e o carnaval, fornecedores enchem de chocolate os supermercados...é uma mistura de goooosssstosura com carestia. São ovos e mais ovos( de páscoa????). Ai diabetes do cão. Rssss. Mas o verdadeiro sentido da páscoa tem um outro sabor, ou seja, o melhor. É a ressurreição de Jesus Cristo, o dia mais importante para a religião cristã. Certo? E este sabor não é encontrado nos supermercados. Às vezes nem nas igrejas. Mas, garantidamente, em nossos corações e sempre em nossos momentos de fé? Huuummmmm.

WALTER GUIMARÃES, 50 ANOS

O colunista social do Jornal Diário do Pará, vai comemorar o Jubileu de Ouro pelos 50 anos de jornalismo ininterruptos. Uma festa vai selar o acontecimento com coquetel, jantar e atrações. A data será 23 de março próximo, no Hangar Centro de Convenções da Amazônia, a partir das 19h30.
Walter, PARABÉNS!!!

AUMENTO SALARIAL PARA PROFESSORES E PROFESSORAS


O Ministério da Educação (MEC) definiu em R$ 1.451 o valor do piso nacional do magistério para 2012, um aumento de 22,22% em relação a 2011. Conforme determina a lei que criou o piso, o reajuste foi calculado com base no crescimento do valor mínimo por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no mesmo período.
 
A Lei do Piso determina que nenhum professor pode receber menos do que o valor determinado por uma jornada de 40 horas semanais. Questionada na Justiça por governadores, a legislação foi confirmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado.
 
Entes federados argumentam que não têm recursos para pagar o valor estipulado pela lei. O dispositivo prevê que a União complemente o pagamento nesses casos, mas, desde 2008, nenhum estado ou município recebeu os recursos porque, segundo o MEC, não conseguiu comprovar a falta de verbas para esse fim.

Em 2011, o piso foi R$1.187 e em 2010, R$ 1.024. Em 2009, primeiro ano da vigência da lei, o piso era R$ 950. Alguns governos estaduais e municipais criticam o critério de reajuste e defendem que o valor deveria ser corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), como ocorre com outras carreiras.

Na Câmara dos Deputados, tramita um projeto de lei que pretende alterar o parâmetro de correção do piso para a variação da inflação. A proposta não prosperou no Senado, mas na Câmara recebeu parecer positivo da Comissão de Finanças e Tributação. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) prepara uma paralisação nacional dos professores para os dias 14,15 e 16 de março com o objetivo de cobrar o cumprimento da Lei do Piso.

A NOVA FACE DOS VEREADORES

Eleitores de 5.565 municípios vão reeleger ou eleger novos vereadores este ano. Um direito democrático que, para alguns cidadãos, tem sido vítima de “sabotagem”. Ou do descaso da população para com seus representantes nas Câmaras Municipais por este país afora.
Uns porque têm consciência de que os votos que deram a seus candidatos acabaram, por conta do quociente eleitoral, elegendo “políticos profissionais” que não escolheram. Sentem-se decepcionados e torcem por uma reforma política que desfaça as artimanhas eleitorais tecidas em mil e umas coligações... Enroladas demais para quem não é do ramo entender.
Fácil é compreender a razão da turma que não dá a menor pelota à função dos vereadores. E o porquê daquela outra em não perder tempo: vota direto na legenda partidária. Sobra então sacar os eleitores que vão às urnas como a uma banca de jogo, usando seu voto como ficha de troca de favores. Às vezes nem tanto por malandragem... É por convicção!
Falando sério, tem gente que ignora as competências a serem exigidas dos candidatos. A esperança desta vez é que, mesmo sem a reforma política, as coisas possam mudar com a lei da ficha limpa e o Facebook (o Brasil já tem 35 milhões de usuários).
Os candidatos vão mostrar suas caras de uma maneira nunca antes vista numa campanha neste país. Imagine aqueles políticos que adoram se autopromover em perfis enganosos...
Ah, mas eles terão a contrapartida. Lembra das promessas mirabolantes que faziam, tempos atrás, nas telas de tevê? Pois serão agora bombardeados com tuitadas de arrasar qualquer reputação de esquina marqueteira.
O salto que a internet e seus adeptos deram nestes últimos quatro anos vai permitir aos eleitores se informarem melhor. Por exemplo: vereador não tem poder executivo; não pode construir uma escola ou uma rua. Somente indicar a localização da obra e fiscalizá-la.
Por menores que pareçam suas atribuições, precisa estar preparado: como fiscalizar os gastos do prefeito sem conhecer lei orçamentária? Justiça seja feita, há vereadores competentes. Com bons assessores, elaboram e redigem projetos de leis bacanas que são aprovados na Câmara e sancionados pelo prefeito.
Mas a internet também está a serviço dos preguiçosos com ofertas de projetos personalizados de vários preços. E a gente pensa que já viu de tudo.
Ateneia Feijó é jornalista

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Número de mestres e doutores no mercado dobra em dez anos

O número de profissionais com títulos de pós-graduação cresceu próximo de 100% no Brasil nos últimos dez anos. Em 2002, o país contava com 23,4 mil mestres e 6,8 mil doutores. Neste ano, devem se formar 41,3 mil mestres e 13,3 mil doutores.

Esse crescimento pode ser atribuído ao estímulo à pós-graduação em todas as áreas do conhecimento, com o aumento na oferta de bolsas de estudos. Entre os programas de estímulo está o Ciência sem Fronteiras, implementado pelos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação. Criado para incentivar o desenvolvimento da ciência e da tecnologia no Brasil, o programa promove o intercâmbio de estudantes de graduação e de pós-graduação e a mobilidade internacional de estudantes e pesquisadores.

O Ciência sem Fronteiras prevê a oferta de aproximadamente 75 mil bolsas em quatro anos, nas modalidades graduação-sanduíche, educação profissional e tecnológica e pós-graduação (doutorado-sanduíche, doutorado pleno e pós-doutorado). Um dos países com intercâmbio consolidado é a Alemanha. Já foi firmado plano de trabalho para estreitar a parceria, a partir da concessão de bolsas a brasileiros, desde graduação-sanduíche até o pós-doutorado, para estudos e pesquisas naquele país. Também foi assinada carta de intenções com a Fundação Alexander von Humboldt (AvH) e firmado novo acordo de cooperação com o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (Daad), que pretende oferecer mais de três mil bolsas nas modalidades graduação-sanduíche, doutorado pleno, doutorado-sanduíche e pós-doutorado.

Países como Bélgica e Finlândia também já firmaram memorandos que preveem cooperação e intercâmbio de estudantes e pesquisadores; organização de seminários, simpósios e demais eventos na área de ciência e tecnologia; troca de informações de políticas e estratégias conjuntas em pesquisa e desenvolvimento e acesso às instalações e recursos. Itália, Canadá e França também têm parceria com o
Ciência sem Fronteiras.

Assessoria de Comunicação Social do MEC; Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República; Em Questão

Fonte: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17534

Os perigos de voar em aviões pequenos na Amazônia

Esse acidente fatal que vitimou o deputado Alessandro Novelino traz à tona a aventura e os perigos que representa em viajar em aviões de pequeno porte na nossa região. Lembro que na última campanha estadual fomos obrigados a pousar na BR-163, em Trairão, e o avião acabou se chocando em fios de alta tensão. Com o choque os fios se romperam e o avião foi jogado no chão. Foi um desespero e uma angústia que não desejo a ninguém! Só mesmo quem necessita se deslocar nessa imensidão que é a Amazônia sabe o que eu estou falando! A maioria das vezes não sabemos o nível de manutenção dessas aeronaves e das pistas de pouso. É um motivo de reflexão para todos que necessitam desse tipo de transporte. Que Deus nos ampare!

MORRE O DEPUTADO ALESSANDRO NOVELINO

O deputado estava no avião que caiu no município do Acará, no nordeste paraense. Também morreram o seu assessor e o piloto da aeronave. O acidente aconteceu na manhã deste sábado(25). Alessandro Novelino deixa esposa e uma filha. No facebook, é grande o número de manifestações de solidariedade por parte de amigos e também de pessoas que nunca conviveram com o parlamentar.
Paz à sua alma e conforto aos familiares. 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

DOCUMENTÁRIO TOXIC AMAZÔNIA

Regional Norte debate pauta da Amazônia para o GTB

As FETAGs e parceiros da Regional Norte estão reunidos para debater e traçar estratégias para o Grito da Terra Brasil, principalmente na construção da pauta a ser negociada com os governos federal, estaduais e municipais. O encontro, iniciado nesta sexta-feira (24), no Auditório Margarida Maria Alves, no CESIR/CONTAG, em Brasília, também visa planejar outras ações para 2012 e apresentar os resultados do Projeto Bird/Contag.
Durante a abertura política, a secretária de Mulheres da CONTAG, Carmen Foro, destacou a importância desse momento de discutir a realidade da regional para contribuir na elaboração da pauta nacional do GTB. “Temos que inserir os povos da Amazônia nessa pauta, temos que dar um peso político nessa negociação”, defende.
Todos os estados da região entregarão suas pautas ao governo estadual até 8 de março. Mas, segundo o secretário de Política Agrária da CONTAG, Willian Clementino, haverá um incentivo para que os municípios também realizem ações para negociar com as prefeituras, para que as políticas públicas realmente cheguem à base. “Queremos elaborar uma pauta que congregue todos os movimentos, atores sociais e políticos da região para que possamos nos unir para fazer um grande enfrentamento à forma ou à ausência das políticas públicas que deveriam ser ou estão sendo implementadas na região Amazônica”, adianta.
Para o dirigente, a região Amazônica merece uma atenção especial do Estado Brasileiro porque tem um grande bioma com diversidade geopolítica que precisa ser levada em consideração na concepção e implementação de políticas públicas. “As populações têm culturas e costumes que precisam que as políticas públicas sejam implementadas a partir dessas vivências e não como se esses sujeitos não tivessem práticas produtivas e organização”, defende.
Além de dirigentes das FETAGs, a reunião conta com a presença de representantes do Movimento Interestadual de Quebradeiras de Coco e Babaçu (MIQCB) e do Conselho Nacional das Populações Tradicionais.

Greve Nacional da Educação

A greve nacional programada para os dias 14, 15 e 16 de março deste ano pela CNTE, demonstra que já passa da hora uma mobilização nacional para colocar em cheque o total descaso do MEC em relação a valorização dos profissionais em educação deste país. Desde 2008, ano da sanção da lei do piso, que o SINTEPP tomou a decisão acertada de se posicionar a favor de uma grande mobilização nacional e chamar a atenção da sociedade para a necessidade de um salário digno aos trabalhadores da educação pública.
A realização de uma greve geral demonstra que nem a CNTE tem mais condições de fazer uma defesa incondicional do Governo Federal frente a sua omissão e aos constantes ataques à Lei do Piso, criada pelo próprio Governo Federal, pois percebeu que não há mais espaço para tantas incertezas quando a questão é valorização do profissional da educação.
Esse é o momento em que estaremos dando um importante passo para a unidade dos trabalhadores em educação de todo país na luta pelo Piso e por maiores investimentos na área educacional pública, pressionando, de certo modo, Governo Federal a realizar um plebiscito oficial pelos 10% do PIB para educação, já! É importante ressaltar que essa mobilização é fruto de uma conjunção das forças políticas que buscam a unidade nacional dos trabalhadores em educação, portanto, nenhuma força política tem cacife político para se sobrepor e arvorar para si a paternidade da greve nacional.
Em março esperamos construir grandiosas marchas nas diversas regionais de nossa base sindical para dar uma boa visibilidade à greve. Não obstante, estaremos realizando seminários e aulas públicas para esclarecermos à sociedade do porquê da paralisação da educação por três dias. É de fundamental importância que possamos em nossas subsedes e regionais dar a devida atenção para a construção de atividades nos três dias em que estaremos realizando a paralisação. Não podemos perder de vista a tomada de atitude da CNTE e suas afiliadas para dar uma dimensão de proporções nacionais que a educação merece.
A nossa luta em 2012 com a Greve Nacional só estará no início. É preciso que este seja o ano de reconhecimento da verdadeira importância que a educação tem para com um país na busca de uma sociedade mais justa, fraterna e igualitária. Eis que temos em nossas mãos um papel decisivo para que nossa mobilização em nível nacional tenha ressonância na sociedade brasileira e que possamos derrotar os inimigos da educação que se encontram encastelados nas prefeituras e nos governos dos estados.
Fonte:
http://www.sintepp.org.br/v2011/noticias_destaque/index.php?id_noticia=25

XXXVI Congresso da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil

Local: Hangar 1
Data:
28/03/2012 até 31/03/2012
Hora:
09h

Organizado pelo Parque Mangal das Garças, é a primeira vez que o evento ocorre no Norte do Brasil.
Telefone: 3344-0100
Realização: OS Pará 2000

LIVRO A ESTRATÉGIA DE HITLER

As Raízes Ocultas do Nacional - Socialismo

O autor é Pablo Jiménes Cores, a tradução é de Sílvia Massimini e  a editora é a Masdras.
Quando comprei custou R$ 34,90 e valeu a aquisição.

" Neste livro, que é fruto de uma investigação objetiva e abnegada, descobriremos, passo a passo, como e onde o líder nazista, Adolf Hitler, buscou seus conceitos e suas estratégias, às vezes enraizados no mágico e no lendário, os quais se solidificaram no Nazismo e que, ainda hoje, seduzem milhares de pessoas."

BOA LEITURA!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

PROGRAMAÇÃO DO CARNAVAL EM BELÉM

A programação do carnaval 2012 da Prefeitura de Belém deve garantir diversão aos foliões que buscam curtir o período momesco sem sair para o interior do Estado.
Os preparativos da festa começaram desde o primeiro final de semana de janeiro, quando os blocos de rua tradicionais do bairro da Cidade Velha foram para as ruas desfilar.
Neste próximo final de semana vários órgãos municipais estarão em força tarefa para oferecer aos foliões um carnaval mais limpo, seguro e tranquilo, com um aparato que vai desde o aumento na frota de ônibus que fazem as linhas interdistritais, à organização do trânsito, o reforço nos postos de saúde e limpeza das vias que servirão de passarela para o desfile dos brincantes. No período em que acontecerá o carnaval, estes são os principais itens checados para promover segurança a quem pretende ficar em Belém, Mosqueiro, Outeiro, Icoaraci ou Cotijuba.
A abertura da agenda do desfile oficial das escolas de samba de Belém e a quantidade de blocos prevê a média de 60 desfiles carnavalescos durante todo o evento, que começa na sexta-feira (17) e termina na terça-feira (21).
Para garantir a segurança nos corredores da folia, cerca de 900 guardas municipais foram escalados para trabalhar nos sambódromos da capital e dos demais distritos. Para atender essa demanda a GMB acrescentou mais 150 homens ao efetivo
inicial, que era de 750. A segurança municipal chega ainda aos prontos-socorros Mário Pinotti (PSM da 14 de Março) e Dr. Humberto Maradei (PSM do Guamá), e às unidades básicas de Saúde que funcionam em regime de Urgência e Emergência 24 horas - UMS Marambaia, UMS Telégrafo, UMS Sacramenta, UMS Jurunas, UMS Icoaraci e UMS Outeiro.
Nos hospitais e postos, além do atendimento que já é realizado nos hospitais municipais, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) reforça o quantitativo de profissionais nas Unidades de Saúde do Benguí e do Carananduba, em Mosqueiro, e também nos postos de Atendimento e Unidade de Saúde itinerante na Aldeia Amazônica, com médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.
Também serão disponibilizadas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu/192) e motolâncias.
Outro item revisado foi a iluminação pública das vias onde os acontecem os eventos.
A Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) realizou a manutenção em todos os projetores instalados na Aldeia Amazônica. Na área de concentração, que fica na esquina da Avenida Dr. Freitas, oito projetores foram instalados, e na área de dispersão, localizada na esquina com a Lomas Valentina, a secretaria fez a instalação de mais 12 equipamentos.
Todas as luminárias situadas na Pedro Miranda, entre Dr. Freitas e Lomas e transversais neste trecho receberam os serviços de manutenção. No dia 20 de fevereiro, quando ocorre o desfile das escolas de samba de Icoaraci, a Seurb realiza a instalação de 10 projetores na rua 15 de Agosto. No dia 21 será a vez do distrito de Outeiro receber o reforço na iluminação, através da instalação de 10 equipamentos na avenida Beira-Mar.
Em Mosqueiro a secretaria realizou a manutenção em diversas vias e também na Praça da Matriz, trapiche e nas orlas das praias.
Nos circuitos dos desfiles das escolas de samba, as vias públicas contarão com banheiros químicos. A Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel) vai distribuir na Avenida Pedro Miranda, entre Doutor Freitas e Lomas Valentina, 50 equipamentos. Em Mosqueiro serão instalados 30 e em Outeiro e Icoaraci 20, em cada um dos distritos.
TRÂNSITO E TRANSPORTE / CTBel PÕE SEU BLOCO NA RUA PARA GARANTIR UM TRÂNSITO SEGURO NO CARNAVAL
Mais de 100 pessoas, entre agentes de trânsito da CTBel, fiscais de transporte de ônibus e hidroviário, assim como educadores de trânsito, vão participar da Operação Carnaval da Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel) que começa na próxima sexta-feira (17).
Este ano, mais uma vez, haverá uma ação integrada da CTBel, Polícias Rodoviárias Federal e Estadual, Detran e Guarda Municipal de Belém para a operação e fiscalização de um trânsito seguro e organizado, principalmente no Complexo Viário do Entroncamento e na BR-316.
Deverá ser reforçada pela CTBel a operacionalização do trânsito na área da avenida Almirante Barroso/Pedro Álvares Cabral/Entroncamento, para dar segurança e fluidez ao trânsito, tanto na saída como no retorno dos balneários. A rodovia BR-316, a partir do Entroncamento, é de responsabilidade da Polícia Rodoviária Federal e a CTBel dará somente o apoio na orientação de trânsito.
Na Operação Carnaval deste ano, os agentes da CTBel vão atuar no trabalho de orientação ao usuário das vias; operação com interdição de vias, desvio de fluxo veicular e orientação de trânsito; e nas fiscalizações, preferencialmente falta de uso do cinto de segurança, pessoas no compartimento de cargas dos veículos e motociclistas e/ou caronas sem capacete.
Quanto ao transporte coletivo, os fiscais da CTBel vão empreender ações na organização de filas nos terminais de ônibus e barcos, garantindo o embarque seguro dos idosos, crianças e portadores de necessidades especiais; vistoria preventiva nos veículos para evitar acidentes; monitoramento das ordens de serviço e contato com as empresas operadoras; verificar lotação dos veículos e orientar os motoristas caso seja necessário desviar o itinerário das linhas.
Ônibus - A CTBel alerta aos usuários do transporte coletivo que fiquem atentos, pois em função de várias interdições, algumas linhas de ônibus sofrerão mudanças em seus itinerários.
Devido ao aumento da demanda de pessoas para os balneários de Belém no Carnaval, principalmente para Outeiro e Mosqueiro, a CTBel vai colocar ônibus extras como reforço operacional das linhas para esses destinos.
Para Outeiro, a linha Outeiro-Belém (São Braz) terá 36 veículos a mais no sábado (18), domingo (19) e quarta-feira (22). Na segunda-feira (20) e terça-feira (21), entretanto, essa linha terá o reforço operacional de 76 ônibus.
Em Mosqueiro, além dos 11 ônibus que fazem viagens durante a semana para o Distrito, a CTBel determinou reforço operacional na linha Mosqueiro-São Braz, cujo preço da passagem custa R$ 3,30. Serão 18 veículos na sexta-feira (17) e 50 veículos no sábado (18), domingo (19), segunda-feira (20), terça-feira (21), quarta-feira (22) e quinta-feira (23).
Trânsito - Em Belém, nos dias 17, 18, 19 e 20 de fevereiro, a partir das 14h ao término do evento, para a realização do desfile de blocos e escolas de samba na Aldeia Amazônica, será totalmente interditado o trânsito de veículos nos seguintes trechos: Av. Dr. Freitas (sentido/perímetro), entre Av. Senador Lemos e Av. Marquês de Herval; e Av. Pedro Miranda, entre Av. Dr. Freitas e Tv. Lomas Valentina, nos dois sentidos da via.
Será também interditado o trânsito de veículos nos cruzamentos da Av. Dr. Freitas com Av. Senador Lemos; Av. Dr. Freitas com Av. Pedro Miranda; Av. Pedro Miranda com Tv. Alferes Costa; Av. Pedro Miranda com Tv. Perebebuí; Av. Pedro Miranda com Tv. Pirajá; Av. Pedro Miranda com Tv. Enéas Pinheiro; Tv. Av. Pedro Miranda com Tv. Lomas Valentinas; Tv. Antonio Everdosa com Tv. Lomas Valentinas; Av. Marquês de Herval com Tv. Lomas Valentinas; Tv. Mauriti com Av. Pedro Miranda.
Em Mosqueiro, a CTBel vai proibir o estacionamento de carros em ângulo na orla do Murubira quando ela estiver liberada ao tráfego, sendo que o mesmo deve ocorrer apenas em fila indiana. E para segurança dos brincantes, a via da orla do Murubira será monitorada por agentes de trânsito e ,havendo necessidade, será fechada ao tráfego de veículos. Na Vila, as interdições de vias referentes aos desfiles começarão às 14h.
Cotijuba - O barco afretado pela CTBel que faz viagens para Cotijuba, com capacidade para 350 passageiros, irá operar normalmente durante o Carnaval.
Neste sábado (18), domingo (19) e terça-feira (21) a passagem custará R$ 4,00 e as viagens feitas no sentido Cotijuba-Icoaraci às 6h e 18h. Já no sentido Icoaraci-Cotijuba, às 9h e 19h.
Na segunda-feira (20) e na quarta-feira (22), porém, o preço da passagem volta ao normal, ou seja, R$ 2,00.
Campanha Educativa - Carnaval é tempo de festa, folia e diversão. Mais importante que tudo isso é que ao final de todas as comemorações,todos voltem às suas casas em paz. Preocupada com isso, a CTBel irá promover, no período de 17 a 21 (sexta-feira a terça-feira), das 8h30 às 13h, a campanha educativa de trânsito que tem como tema “Brinque o carnaval, não brinque com a sua vida. Respeite as leis de trânsito”.
A campanha tem o objetivo de orientar e proporcionar segurança aos motoristas que circularem em Belém e no Distrito de Mosqueiro durante o período do carnaval, bem como para aqueles que se deslocarem aos diversos balneários nesse período.
Durante a campanha educativa da CTBel, educadores e agentes de trânsito irão orientar e conscientizar os condutores de veículos para a direção preventiva e segura sem uso de bebidas alcoólicas ao dirigir e respeito às leis de trânsito. A campanha será feita através de abordagem direta ao condutor do veículo.
De sexta-feira (17) a terça-feira (21), os educadores de trânsito da CTBel atuarão no Pórtico de Mosqueiro, das 8h30 até as 13h.
E na programação oficial da Prefeitura de Belém, na Aldeia Amazônica, os educadores de trânsito da CTBel vão atuar na área do evento das 17h às 23h.

MESTRADO EM MARABÁ

O Campus de Marabá da UFPA aprovou na CAPES, em novembro passado, o seu 1o curso de mestrado acadêmico. Trata-se de um mestrado interdisciplinar denominado Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia - PPGDTAM. Esse curso, voltado para a reflexão crítica sobre as complexas relações sociais e territoriais na Amazônia contenporânea, apresenta duas linhas de pesquisa: (i) Estado, Território e Dinâmicas Sócio-ambientais na Amazônia ; (ii) Produção Discursiva e Dinâmicas Sócio-territoriais na Amazônia.
O edital de seleção 2012 já se encontra disponível no endereço www.ufpa.br/campusmaraba ou www.ufpa.br/campusmaraba/index/index.php/mestrado
O período de inscrição é de: 08 de fevereiro a 09 de março de 2012
Solicitamos ampla divulgação.
Atenciosamente,
Prof. Fernando Michelotti
Vice-Coordenador do Campus de Marabá
Via FPEC - Fórum Paraense de Educação do Campo.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Jogador do Remo é agredido em campo, mas não presta queixa contra "amigo"

O lateral-esquerdo Aldivan, do Remo, decidiu não prestar queixa contra Alexandre Carioca, do Águia de Marabá, pela agressão sofrida neste domingo. Durante partida entre os clubes, válida pela semifinal do primeiro turno do Campeonato Paraense, Carioca atingiu Aldivan com um tripé de fotógrafo.

De acordo com o SporTV, O agredido afirmou que o atleta do Águia atuou ao seu lado no Paysandu em 2010 e era seu amigo. Após ouvir um pedido de desculpas, decidiu perdoá-lo.
A confusão aconteceu logo após o segundo gol do Águia na vitória por 2 a 0, placar que eliminou o Remo. No meio da discussão entre atletas dos dois times, Aldivan foi atingido enquanto estava agachado. Ele teve de ser levado de ambulância para um hospital. Carioca foi conduzido à delegacia, mas foi liberado após ser perdoado pelo rival.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

'Haddad é o candidato do kit gay', diz cartaz no gabinete de Bolsonaro

Jair Bolsonaro mostra cartaz em seu gabineteO deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) colocou, na porta de seu gabinete, em Brasília, um cartaz contra o ex-ministro da Educação e pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad.
O cartaz está em uma parede chamada pelo deputado de "mural da vergonha" e diz que Haddad é o candidato do "kit gay". O cartaz pergunta ainda: "As crianças de seis anos terão aula de homoafetividade nas escolas?".
Questionado sobre o assunto, Bolsonaro disse que colocou "aquilo para quem tem vergonha na cara não votar no Haddad".
Jair Bolsonaro mostra cartaz em seu gabinete
"O pessoal de São Paulo tem que conhecer melhor o candidato, não só essa palhaçada do Enem", diz o deputado referindo-se aos problemas na realização das provas do Enem quando Haddad comandava o Ministério da Educação.
Bolsonaro já fez diversos protestos contra o que chama de "kit gay", material que seria distribuído em escolas para combater o preconceito contra homossexuais.

Escolas públicas terão consultório itinerante de odontologia

A partir do segundo trimestre, o governo federal vai oferecer consultórios itinerantes de odontologia e oftalmologia na porta das escolas da rede pública.
A ação será colocada em prática em 20 Estados. Os consultórios estarão montados em caminhões que vão atender alunos de escolas em municípios que fazem parte do Programa Saúde na Escola.
O Ministério da Saúde, responsável pela ação junto com o da Educação, divulgou que serão usados 37 caminhões para o atendimento oftalmológico, cada um deles com dois consultórios.
A pasta afirma que a finalidade é oferecer gratuitamente procedimentos considerados de baixa complexidade, como consultas, fornecimento de óculos, diagnóstico de doenças relacionadas à retina, entre outros.
Em relação ao tratamento dentário, serão 34 veículos com dois consultórios em cada um. Nesses locais serão feitas ações como restauração, extração de dentes, limpeza e aplicação de flúor.

Mercadante diz que vai alterar correção da redação do Enem

Aloizio Mercadante completou ontem 18 dias a frente do Ministério da Educação prometendo dar continuidade ao trabalho de seu antecessor, Fernando Haddad, mas com um discurso com forte ênfase no uso de tecnologias para melhorar a qualidade do ensino.
Antes de pensar em grandes projetos, no entanto, ele precisará resolver problemas imediatos, como uma melhor gestão do Enem. Em entrevista à Folha, ele disse que a metodologia de correção das redações --alvo de contestações na Justiça-- vai mudar a favor dos alunos. Mas não garantiu a realização de duas provas em 2013.
O ministro, que quando candidato ao governo de São Paulo criticou duramente o que classificava como "aprovação automática", diz que não alterará a orientação --em vigor hoje no MEC-- de não reprovar alunos dos ciclos iniciais.
Sérgio Lima/Folhapress
Aloizio Mercadante discursa na cerimônia em que tomou posse como ministro da Educação
Aloizio Mercadante discursa na cerimônia em que tomou posse como ministro da Educação
Leia a íntegra da entrevista:
*
Folha - No que o senhor vai se diferenciar do ex-ministro Fernando Haddad?
Mercadante - Primeiro eu quero continuar, porque educação é continuidade. Se tivermos que ajustar alguns programas, nós ajustaremos. Eu espero poder continuar ampliando o acesso, melhorando a qualidade do ensino, a formação dos professores, colocando a educação como a política pública mais importante do Brasil.
Mais importante de como eu vou sair, é como os alunos vão sair da escola. E o tempo dessas crianças que estão na escola é hoje, é agora, e é a isso que vou me dedicar.
Somos a sexta economia do mundo e temos condições de avançar. Mas temos de olhar mais além, que é construir um país desenvolvido e só seremos desenvolvidos se tivermos uma educação universal de qualidade.
O que eu sinto na presidenta Dilma é esse mesmo compromisso com a educação e também um olhar muito especial para a articulação entre educação e a ciência, tecnologia e inovação.
O senhor se mostrou favorável a levar o ensino superior para o Ministério da Ciência e Tecnologia, quando era titular dessa pasta, e até citou que alguns países tinham feito isso. Qual a sua posição agora?
É a mesma. Eu disse que esse era um debate do Congresso Nacional e, como ministro de Estado, não me cabia nenhum posicionamento. Mas de fato esse modelo existe em alguns países com a educação superior articulada ao sistema de ciência, tecnologia e inovação.
No entanto, há um outro lado dessa discussão, que é o papel indispensável das universidades para melhorar a qualidade de ensino básico, do fundamental, do ensino médio, em uma maior integração orgânica com a formação continuada, com a profissionalização dos professores, com a reflexão pedagógica.
Então o senhor defende que o ensino superior continue no MEC?
Para consolidar esse processo que é o maior desafio que temos hoje, que é dar qualidade ao ensino, criar uma escola mais atraente, mais acolhedora, para articular profissionalização e educação regular.
Neste início de gestão, ficou a impressão de que o senhor acredita que a tecnologia, que ainda não provou ser eficaz na sala de aula, salvará a educação. É uma impressão errada?
A tecnologia não é um objetivo em si mesma no processo educacional e sim um instrumento que pode contribuir para um salto de qualidade. Cada vez mais a tecnologia da informação está presente. Essa é a sociedade do futuro, uma sociedade do conhecimento, da informação.
A escola tem de ser um agente que contribua para esse processo da inclusão digital. E mais: não só preparar a juventude para utilizar essa ferramenta no mundo do trabalho e no mundo da ciência, como utilizar essa ferramenta no processo de aprendizagem.
O que é que estamos definindo no MEC? Primeiro que esse processo vai começar pelo professor, porque por ele você tem muito mais segurança do processo pedagógico. E porque o arranjo social da sala de aula e o quadro negro são do século 18, os professores são do século 20 e os alunos são do século 21. Os professores, nós todos somos analógicos e imigrantes digitais. Os alunos são nativos digitais.
E vamos começar pelo ensino médio, que é onde está o maior índice de evasão escolar, onde a pesquisa mostra que os alunos estão buscando mais o trabalho porque acham a escola desinteressante. Começaremos com um tablet, que é um instrumento muito amigável de pesquisa e distribuição de informações, com o respaldo de um material pedagógico digital que nós já temos para disponibilizar.
Nós vamos ter a partir de abril o Khan Academy, que é reconhecidamente um portal de excelência em termos de didática e conteúdo, traduzido para o português e oferecido gratuitamente para todos os professores da rede.
O tablet vai estar dialogando com um projetor digital, que estamos distribuindo para as escolas. Então toda a pesquisa que o professor fez no tablet, ele pode jogar no projetor digital e colocar diretamente para o aluno na sala de aula, com um custo muito pequeno.
A experiência com o UCA (Programa Um Computador Por Aluno), por exemplo, teve o relatório feito pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) foi bastante crítico.
Sobre o Uca, é uma prova de conceito, está sendo implantada entre outras experiências digitais em andamento em cinco escolas por estado e cinco municípios com UCA total, totalmente integral. Tem 27 grupos de pesquisa analisando essa experiência, sobre todas as possibilidades, exatamente para a gente ter uma reflexão pedagógica prévia, porque nós só compramos 150 mil laptops, em um universo de 56 milhões de alunos. Então é uma experiência localizada, é um observatório pedagógico. E também pesquisamos a experiência digital em 18 países.
A pesquisa da professora Lena Lavinas (da UFRJ) tem conclusões nas quais ela diz coisas assim [começa a ler o relatório]: "resultado notável dessa análise de painel é descobrir que dar um laptop para uma criança de seis anos, logo no início do seu processo de alfabetização, tem um impacto muito positivo pois aumenta a sua propensão a aprender a ler e a escrever nessa faixa etária". Ela diz que o ideal é que possa levar para casa, que é o que estamos fazendo com o tablet para o professor.
Ela diz que "sem o UCA, alunos extremamente pobres, dificilmente poderiam dispor de um computador e ter acesso regular à informática". Ou seja, você teria um apartheid digital no país, se a escola não enfrentar essa questão.
"A autoestima dos alunos aumentou com a aquisição do computador. Muitos professores tiveram a sua autoestima abalada, alguns se sentiram humilhados frente a essa novidade a qual ainda não conseguem se apropriar". Isso reforça a nossa estratégia de começar pelo professor.
Será que tudo isso que aconteceu com a tecnologia, com a evolução, não ajudará a gente a fazer uma escola muito mais criativa, mais interativa, que desperte mais inovação, curiosidade nos alunos? Eu acho que vai ter, mas tem de ter cuidado pedagógico.
Como atacar o problema no ensino médio que o senhor próprio descreveu como o "nó da educação"?
O primeiro instrumento é o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego). Nós precisamos romper a dualidade estrutural entre ensino regular e ensino técnico profissionalizante. Isso porque uma parte dessa juventude não vai para a escola porque diz que ela não é interessante.
Então temos de fazer uma escola criativa e inovadora, daí a ideia dos tablets e do portal digital começar pelo ensino médio, para motivar os alunos e os professores. E também buscar articular a formação técnico profissionalizante com o ensino regular. Com isso nós esperamos aumentar a demanda de opções e a oferta de matrícula.
Segundo nós temos o programa Ensino Médio Inovador, que é buscar novos currículos, reformar a grade de ensino, para tentar atender as novas demandas, os novos interesses, fazer uma escola mais criativa, mais inovadora, inclusive com parcerias com entidades que têm tido uma boa experiência na nossa avaliação.
O outro ponto é continuar fortalecendo e expandindo a rede de institutos federais, porque elas são o eixo estruturante em termos de qualidade nesse processo. Ali você tem um roteiro pedagógico integrado.
Mas o ensino técnico é uma agenda antiga. Qual a abordagem inovadora?
O que tem de novo primeiro são as parcerias que nós não tivemos na história recente entre o MEC e o sistema S. É um espaço muito qualificado e que pode dar uma resposta muito importante. Vamos ter a bolsa formação, que se divide entre bolsa formação do estudante e bolsa formação profissional.
Por exemplo, quase 2 milhões de trabalhadores na indústria não têm ensino fundamental ou são analfabetos. Essa é uma estrutura que estamos propondo agora uma parceria com a bolsa formação do trabalhador. Nós vamos dar financiamento do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) para a empresa formar esses trabalhadores. Acho que é uma parceria inteligente que pode dar certo.
O Enem vai parar de ter tanto problema?
Existe algum país desenvolvido que não tenha um exame semelhante ao Enem? Não, o Enem está ancorado numa estrutura de avaliação que todos os países desenvolvidos construíram. É um caminho republicando, democrático de acesso, que é a meritocracia.
O crescimento do Enem no Brasil é uma coisa espetacular, são 5 milhões de alunos. É muito mais complexo fazer um exame desse tamanho num país continental e que não tem a tradição.
Temos que melhorar a gestão? Evidentemente que temos que melhorar. Tem havido um esforço muito grande do MEC e melhorou muito a logística. Houve um avanço importante do ponto de vista logístico de aprimoramento.
Na TRI (Teoria de Resposta ao Item), que é indispensável ao Enem, precisamos aumentar o banco de itens e já estamos trabalhando fortemente nessa direção.
Nos Estados Unidos, eles construíram um sistema com mais de 100 mil questões. Se tivéssemos algo como 50 mil questões (hoje são 6 mil), não teríamos mais dificuldades para fazer o exame, pois quanto mais itens, menos riscos.
A meta é chegar a quantos itens?
Posso dizer que estamos trabalhando fortemente para aumentar de forma expressiva ao longo deste ano o nosso banco de itens, mas vamos aguardar. Tudo o que diz respeito ao Enem, quanto mais cuidado a gente tiver na divulgação, melhor para o sistema.
Além de ampliar o banco de itens, uma segunda providência que já tomamos foi constituir uma comissão técnica de alto nível para discutir a metodologia da prova.
E vamos melhorar a correção da redação a favor dos alunos. Vamos mudar a metodologia de correção e criar procedimentos mais rigorosos e que deem mais segurança na avaliação final. No momento adequado, vamos anunciar. O importante é que os jovens continuem estudando.
Haverá dois exames no ano que vem?
Estamos trabalhando nessa possibilidade. Se aumentarmos o banco de itens, teremos essa possibilidade. Primeiro vamos resolver o banco de itens porque sem isso não temos as condições de fazer com segurança dois exames ao ano.
Muitos educadores criticam o MEC por divulgar notas por escola do Enem e na Prova Brasil. O senhor pretende mudar isso?
Os pais não podem saber o que está acontecendo com os alunos se não houver um ranqueamento. Quando você compara, você permite uma discussão de metas e qualidade. As metas são fundamentais para que o sistema possa evoluir. Como posso projetar uma meta de qualidade se eu não tenho um ponto de referência de avaliação? Como posso construir metas consistentes se não sei como o conjunto de sistema está se movendo?
O senhor bateu muito no que chamou de aprovação automática quando foi candidato ao governo de São Paulo. O MEC, no entanto, orienta os municípios a não repetirem os anos iniciais do ensino fundamental. Manterá essa política?
O que nós vamos trabalhar no primeiro ciclo, dos seis aos oito anos de idade, é apresentar um programa de alfabetização na idade certa. É indispensável que nesse primeiro ciclo a criança saiba ler e escrever. É uma questão central do sistema. Precisamos criar uma consciência na rede de que os melhores professores, nos melhores horários e nas melhores salas de aula, com material pedagógico estruturado, devem ser ofertados para os alunos nesse primeiro ciclo.
Quando o senhor diz material estruturado, quer dizer apostilas de alfabetização?
Material estruturado não é material padronizado, como apostilas. Do ponto de vista pedagógico, temos muitos caminhos e muitas opções, e vamos respeitar a pluralidade. Será um material de qualidade, diversificado, e em quantidade suficiente para todos os alunos.
Temos nessa questão dois caminhos a superar. Um é a indústria da repetência, que é o reconhecimento do fracasso pedagógico. Mas igualmente temos que superar a aprovação automática, em que o aluno não domina as habilidades e condições necessárias para aquela etapa do processo. Precisamos ter acompanhamento pedagógico mais consistente.
Estamos trabalhando também com a ideia de ter algo semelhante a uma residência médica para os professores, com tutoria, inclusive com visita a casa dos alunos que tenham maior dificuldade de aprendizagem, como um médico de família.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

TRABALHO VOLUNTÁRIO PARA A FIFA?


A Associação Nacional dos Torcedores e Torcedoras (ANT), vem a público demonstrar sua indignação com o anúncio de que a FIFA irá recrutar ao menos 18 mil brasileiros e estrangeiros para trabalho voluntário na COPA de 2014.
Como se já não bastasse todos os abusos e ataques à conquistas históricas da sociedade brasileira, abusos esses aceitos pelo Estado brasileiro e em grande medida materializados através da chamada Lei Geral da Copa, agora a FIFA quer que o povo brasileiro trabalhe até 10 horas por dia sem que o trabalho seja pago.
O trabalho voluntário não é uma novidade no Brasil, está inclusive regulamentado. Entretanto, em seu artigo 1º ele é classificado como “a atividade não remunerada, prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza, ou a instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade”. No caso da FIFA estamos tratando de uma entidade privada com faturamento anual maior que a arrecadação de muitas cidades brasileiras, e que, além disso, convive há décadas com denúncias de corrupção e de desvios de verbas. Estamos também tratando do Brasil, um país que ainda conta com milhares de pessoas em situação de extrema pobreza, uma das maiores desigualdades sociais do mundo e que sediará grandes eventos esportivos nos próximos anos sem que nada seja revertido em melhoria da vida de seu povo.
O que vemos são milhares de pessoas perdendo suas casas para obras ligas à COPA, estudantes e idosos em vias de perder a conquista da meia entrada, trabalhadores da construção sendo fichados pela polícia supostamente para sejam evitados ataques terroristas durante o evento e moradores da região dos estádios que viverão um verdadeiro estado de sítio antes, durante e depois do mundial.
No caso do trabalho voluntário, a FIFA se aproveita da paixão pelo esporte, criando a expectativa de proximidade com jogadores e possibilidade de assistir aos jogos (o que sabemos que em 90% dos casos não acontece) para aumentar seu lucro sem remunerar o trabalho.
É a partir das questões elencadas nesta nota que a ANT e seus associados mais uma vez afirmam que este não é o modelo de COPA que queremos, o modelo FIFA de promover eventos ligados ao futebol culmina com apenas uma das partes envolvidas beneficiada, ou seja, a entidade organizadora e seus parceiros. Diante dos fatos a ANT aproveita para criar a campanha “NÃO SEJA UM VOLUNTÁRIO FIFA: porque trabalhar para entidades que lucram bilhões em troca de uniforme e lanche é trabalho escravo”.
Janeiro de 2012
ANT – Associação Nacional dos Torcedores e TorcedorasSite: www.torcedores.org.br
Email: contato.ant@gmail.com
Twitter: @ANTorcedores
Facebook: Associação Nacional dos Torcedores

COMIDA SIMPLES E GOSTOSA

Macarrão ao molho de alcaparras, acompanhado de frango ao vinho com manjericão.
Estou aprendendo e fazendo minhas alquimias. Rsss.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Crianças: o próximo alvo da Fundação Wikimedia

Na Campus Party Brasil 2012, diretor Kul Wadhwa revela plano de transformar o conceito de educação dos pequenos; após o sucesso de Wikipedia e Wiktionary, a plataforma CollabKit será a bola da vez da inteligência coletiva e colaborativismo na internet; evento chega ao quarto dia discutindo tecnologia.

Diego Iraheta _247 - A Fundação Wikimedia, responsável pelos principais projetos de inteligência coletiva da internet na atualidade, escolheu as crianças como público-alvo de suas próximas ações. Além da maior enciclopédia colaborativa – Wikipedia – e do dicionário online mais completo em vários idiomas – Wiktionary, a instituição estuda lançar uma plataforma educativa para os pequenos. O inédito CollabKit foi anunciado pelo diretor de Mobile e Desenvolvimento de Negócios da Wikimedia, Kul Wadhwa, nesta quinta-feira, 9, na Campus Party Brasil 2012.
A Wikimedia quer transformar os parâmetros do aprendizado. “Nossa ideia é dar às crianças o poder, o entendimento, cada vez mais cedo”, explica Kul. Em vez de a educação ser baseada em um modelo industrial, focado em linha de produção intelectual e profissional de indivíduos, projetos pedagógicos seriam baseados em liberdade de criação das crianças e em colaboração de todos.
“Seria um programa mais orgânico, como se fosse um modelo agrícola”, compara Kul. As crianças utilizariam computadores ou tablets para produzir o que quisessem, sempre trocando ideias com os coleguinhas, dispostos a ajudá-los a construir – conhecimento, algo novo, algo diferente.
Assim como defendeu o pesquisador indiano Sugata Mitra, também na Campus Party, as tecnologias de participação – gadgets e celulares – são fundamentais para uma mudança estrutural na educação. “As crianças podem aprender sozinhas; elas só precisam das ferramentas”, analisa o diretor do Wikimedia.
Neste momento, o CollabKit passa por uma fase de testes. O 247 está apurando quando essa plataforma será disponibilizada às crianças e aos educadores.

TCC PASSO A PASSO

COMA BEM: LEGUMES TEMPERADOS


Receita legal para você que acompanha o BLOG do Professor JC.

Ingredientes:
1 cenoura fatiada
1 abobrinha fatiada
1 batata média fatiada ou 1 couve-flor pequena

Molho:
1 colher (sopa) de azeite
1/2 cebola picadinha
1 dente de alho picado
1/2 pimentão vermelho picadinho
1 tomate sem sementes picados
1/4 de xícara (chá) de vinagre de vinho branco
1/4 de xícara (chá) de cheiro-verde picado
Azeite a gosto
Sal e pimenta a gosto
Gergelim branco e preto torrados

Modo de fazer:
Cozinhe, separadamente, em água e sal os legumes.

Molho:Frite no azeite o alho, a cebola, junte o pimentão. Retire do fogo e acrescente os tomates, o vinagre, o cheiro-verde, o azeite e o sal e a pimenta.
Numa tigela coloque os legumes ainda quentes e misture com o molho cuidadosamente até envolver tudo. Salpique o gergelim e leve para gelar por 1 hora mais ou menos.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Viva o TCC!!!


Marcelo Nakagawa - Consultor e professor de empreendedorismo e inovação
Não há como escapar. Alguns têm medo. Outros ignoram até o último momento. Mas os melhores entram cedo no TCC. Se você já passou pelo curso de graduação e até mesmo pela pós-graduação, vai se lembrar dos seus dilemas com o seu trabalho de conclusão de curso. Mas o que aconteceu com o seu TCC?
Bom, poucos ganham prêmios. Parabéns! Outros ajudam a resolver algum problema específico. Ótimo! Mas alguns foram mais longe. Pense, por exemplo, em um desafio que já se tornou trivial: fazer uma pesquisa na internet para comprar um tênis e recebê-lo em casa.
Vamos pensar em um TCC sobre a entrega em casa. Imagine um chefe chinês muito bravo, cruzando a linha de produção da fábrica aos berros (em chinês), que entra gritando (em chinês) na sala de outro chinês, que quase se esconde atrás da sua mesa.
Trêmulo, este outro chinês só balbucia: f...f...f...eress. O chinês bravo se acalma, balança afirmativamente e sai tranquilo da sala. Mesmo que não saiba nada de chinês, entenderia este comercial.
Em 1965, Fred Smith tinha só 21 anos quando escreveu sua monografia. Uniu suas paixões pela aviação e automação e propôs um negócio de entregas expressas fortemente baseado em logística aérea e automação de processos.
Seu professor não gostou muito da ideia, alegando que o negócio atuaria em um setor saturado e já consolidado e Smith passou raspando com uma nota C. Poucos anos depois, insistiu no seu projeto e fundou a Fedex.
Agora o TCC do tênis. Imagine uma mulher praticando corrida em uma estrada qualquer e uma voz inspiradora narrando: "você não precisa ficar na frente do espelho antes da corrida, pensando no que a estrada achará de você.
"Não precisa ouvir suas piadas e fingir que são engraçadas. Não precisa se sentir atraente para correr mais. A estrada não repara se você está de batom. E nem se preocupa com a sua idade.
"Você não precisa se sentir desconfortável só porque ganha mais dinheiro do que ela. E poderá visitar a estrada sempre que quiser. Mesmo que seja após um dia ou algumas horas desde o seu último encontro. A única coisa que a estrada quer é que você a visite de vez em quando".
Se você sabe do que as mulheres gostam, já tem em mente o nome da empresa deste comercial, que remete a deusa grega da vitória. Mas em 1962, Phil Knight não pensava nisso.
Ele só se preocupava com o TCC para finalizar seu MBA na Universidade de Stanford. Tinha 24 anos e era apaixonado por esportes, assim, teve a ideia de escrever sobre a criação de um negócio de calçados esportivos. Dois anos depois, co-fundou a empresa que se tornaria a Nike.
E, por fim, tem o TCC sobre a pesquisa na internet. Neste caso, você digita comprar tênis, clica em "estou com sorte" e pronto. Mas em 1995, Larry Page não queria comprar um tênis.
Estava com 22 anos e um grande problema: não tinha uma questão de pesquisa para sua tese de doutorado em Ciências da Computação na Universidade de Stanford. Pensou em estudar as propriedades matemáticas da web, entendendo a estrutura de links como um grande gráfico de relações e seu orientador, Terry Winograd rapidamente o apoiou nisso. Três anos depois, Page co-fundava o Google.
Visto desta forma, o TCC é a melhor oportunidade que você tem para construir o seu futuro ainda na faculdade. Viva o TCC e dê vida a ele!

PROJETO CINE ESTAÇÃO

Filme: Românticos Anônimos

Direção: Jean-Pierre Améris. Com Benoît Poelvoorde e Isabelle Carré. 80m. 14 anos
Datas em fevereiro:
2 (quinta): 18h e 20h30
3 (sexta): 18h e 20h30
5 (domingo): 10h, 18h e 20h30
9 (quinta): 18h e 20h30
10 (sexta), às 18h e 20h30
12 (domingo): 10h, 18h e 20h30
Ingressos: R$ 7,00 (com meia-entrada para estudantes). Realização: OS Pará 2000, Secretaria de Estado de Cultura – Secult e Governo do Estado.
Fonte: http://www.estacaodasdocas.com.br/

Aprovada droga de dose semanal para o diabetes tipo 2

Dr. Carlos Eduardo Barra Couri
Aprovado pelo FDA o mais novo medicamento que pode ser utilizado como opção no tratamento do diabetes tipo 2: o BYDUREON®. Seu lançamento foi destaque na imprensa leiga mundial, sendo matéria do New York Times no dia 27/01.

O BYDUREON® é considerado "primo"do recém-lançado VICTOZA® e do remédio há mais tempo no mercado chamado BYETTA®. A substância contida nele é o exenatide de liberação lenta. Exenatide é uma substância semelhante àquela liberada pelo nosso intestino quando ingerimos o alimento. Esta substância é chamada GLP-1.
Esta classe de remédios que têm ação semelhante ao GLP-1 humano promove redução da glicemia pelo fato de esta substância estimular a secreção de insulina pelo pâncreas e redução do hormônio glucagon (também produzido pelo pâncreas). Para quem não sabe o glucagon eleva a glicose no sangue, ou seja,  é contrário à ação da insulina.
Além disso, o GLP-1 atua no centro da fome localizado no cérebro induzindo a uma redução do apetite. O GLP-1 também atua no estômago fazendo com ele fique mais lento para se esvaziar quando nos alimentamos. Com isso, o paciente em uso deste remédio frequentemente refere que quando come pequenas quantidades de alimentos já sente o estômago mais “cheio”, não tolerando portanto ingerir grandes quantidades de comida.

Por isso, esta classe tem como um dos efeitos paralelos atraentes promover redução de peso. Mas é bom deixar claro: NÃO SÃO REMÉDIOS PARA EMAGRECER, E SIM PARA TRATAR DIABETES TIPO 2. ELES SÓ SÃO  INDICADOS PARA PACIENTES COM DIABETES TIO 2 E NÃO SE RECOMENDA O SEU USO PARA OBESOS NÃO-DIABÉTICOS.

O principal fator diferencial do recém-aprovado BYDUREON é o fato de ser injetado por via subcutânea apenas semanalmente. O primeiro da classe lançado, o BYETTA, tem aplicação subcutânea 2 vezes ao dia; já o VICTOZA é injetado via subcutânea 1 vez por dia.
É bom deixar claro que apesar de ser injetável, NÃO É INSULINA.
O BYDUREON foi aprovado na Europa previamente e acaba de ser aprovado nos Estados Unidos. É possível que tenhamos mais esta opção disponível no mercado brasileiro em alguns meses. Porém, para isto, deveremos aguardar aprovação de nosso departamento regulamentador, a ANVISA.
Enquanto ele não chega ao Brasil, seguem abaixo algumas informações práticas:
  • Posologia: 2mg 1 vez por semana aplicada por via subcutânea; locais sugeridos são no abdome e prega do músculo tríceps.
  • Como aplicar? A caixa contém o exenatide de longa duração em pó, uma seringa com 0,65 ml de diluente e agulhas. Deve-se injetar o diluente no frasco, diluir o medicamento, aspirá-lo imediatamente e injetá-lo.
  • Onde armazenar? Em geladeira com temperatura de 2o a 8o C.
  • Potência na redução da A1C: estudos comparativos diretos com outros remédios há mais tempo no mercado mostram potência similar à metformina e pioglitazona e superior a sitagliptina. Em monoterapia para pacientes virgens de tratamento redução média da A1C foi de 1,5 pontos percentuais, mas sabe-se que o efeito na redução da glicemia depende do grau de descontrole, ou seja, quanto ais descontrolado a glicemia, maior a redução da mesma após o uso do Bydureon®.  O FDA atualmente indica o Bydureon® não como terapêutica de primeira escolha, mas como alternativa quando se falha monoterapia com os medicamentos mais testados como metformina, sulfoniluréias, etc.
  • Populações especiais: este medicamento não foi testado gestantes, em pacientes com insuficiência renal moderada e grave, pacientes com insuficiência hepática e em menosres de 18 anos e por isto não é indicado para estes indivíduos.
  • Efeitos colaterais mais comuns: em monoterapia os efeitos mais comuns são náuseas e vômitos (10-15%), diarréia (10%), nódulo no local de aplicação (7%). Vale à pena ressaltar que em combinação com metformina a incidência de náuseas e diarréia atingiu cerca de 20% dos usuários. Os efeitos adversos são mais comuns no início do tratamento e tendem a se reduzir com o tempo de uso. Em monoterapia a incidência de hipoglicemia é semelhante ao placebo.
  • Precauções: Há relatos de carcinoma medular de tireóide em rartos expostos a este medicamento. Não se sabe o efeito em humanos, mas por precaução não se recomenda seu uso em pacientes com histíria pessoal ou familiar de câncer medular de tireóide. Há relatos raros de pancreatite fatal e não-fatal em pacientes que usaram exenatide de curta duração. Por isso, não se recomenda o uso de Bydureon®  em pacientes que já tiveram história de pancreatite e deve-se ficar atento com sintomas de dor abdominal.
  • Preço: informação não-oficial publicada no New York Times indica que 4 doses semanais custarão cerca de 325 dólares, ou 81 dólares a dose.
Carlos Eduardo Barra CouriDr. Carlos Eduardo Barra Couri
Endocrinologista
Pesquisador da Equipe de Transplante de Células-tronco do Hospital das Clínicas da USP- Ribeirão Preto
Coordenador do Departamento de Novas Terapias e Biotecnologia da Sociedade Brasileira de Diabetes.