Translate

terça-feira, 31 de março de 2015

Rapidolas Esportivas

@ Paysandu jogou bem e Remo deu show de incompetência no último domingo no Mangueirão. Papão enfiou 3X1, mas o placar poderia ser bem maior. Com  a derrota, saiu o  treinador Zé Teodoro e já chegou o substituto Cacaio que, no passado, foi ídolo da nação bicolor. 

@ A seleção do Dunga vai bem. Não dá para negar. Nada de fantástico, mas o grupo me agrada.

@ Como está bonita a nova camisa do Paysandu.

@ Outro dia, quando voltava para Belém, no voo da GOL, que saiu de Marabá, rapidamente conversei com o jogador Rodrigo, que atua no Parauapebas. O Atleta informou que o grupo, de Belém, seguiria para Santarém, visando duelar contra o Tapajós. Desejei boa sorte ao rapaz. Mas o time santareno levou a melhor: 3X1.

@ Remo com dificuldades para pagar salários. Pela imprensa público fica sabendo da insatisfação dos jogadores.

@ Flávio Caça-Rato é esforçado, mas está longe de ser o que a torcida azulina realmente espera.

@ Lugar de bandido é na cadeia. Inclusive de muitos que se dizem torcedores em nosso imenso Brasil. Futebol é lazer. Tem muita coisa mais importante. 

@ Paulo Vinícius Coelho, o PVC, é craque nos comentários e dá brilho à equipe do Canal FOX SPORTS.

@ No último domingo, 29/03/2015, aconteceu a primeira Regata do ano, promovida pela Federação de Remo do Estado do Pará - FEPAR. O grande campeão foi o Clube do Remo por ter vencido seis provas. Na segunda colocação ficou a Tuna Luso Brasileira com três conquista e, em terceiro, o Paysandu, que venceu uma prova. 

@ Na segunda divisão do próximo ano, do Campeonato Paraense de Futebol, presença garantida de Castanhal e do Gavião. Abraçadinhos, os dois foram rebaixados no último domingo, quando empataram por 2X2. A vida segue.

@ O Ganso é craque, mas não deslancha. E ele que na minha opinião, já foi melhor que Neymar. 

@ Em REXPA não há favoritismo. Portanto, para os dois próximos jogos, pela Copa Verde, entendo que Papão e Leão entram zerados. O baile já é passado.

@ Lateral Levy ainda procura pelo atacante Bruno Veiga.





sábado, 14 de março de 2015

RAPIDOLAS DO PROFESSOR JC

- Clima quente no Brasil. Dia 15 próximo saberemos sobre a força das redes sociais. Por lá, Dilma já era.


- Perfis de quem apoia o FORA DILMA: há quem saiba que sua saída nada resolve, porém não tem tolerância com ela, Lula e o PT. Há quem ainda esteja com dor de cotovelo pela derrota nas urnas e querendo demais voltar ao poder. E, por fim, estão as pessoas que não estão nem aí para partidos políticos, porém não suportam mais ver Dilma no comando, com tantos problemas ganhando corpo no país, e, o principal deles, a CORRUPÇÃO.

- Perfis de quem é contra o impeachment de Dilma: há quem aprove o governo Dilma e entenda haver um tentativa golpista no país. Há os que não aprovam o governo Dilma, porém entendem que a saída dela desta forma, nada resolve. O referido grupo não vê a necessidade de uma saída forçada e prefere aguardar pelas próximas eleições. Mas sem que as investigações sobre a corrupção na Petrobras termine em pizza.

- Litro do açaí tipo médio a 20 "contos" aqui na Roberto com a Pariquis, no movimentado Jurunas. Não dou. Prefiro comprar um pouco de filé.

-
Feira de Turismo de Lisboa foi um sucesso. Fátima Leite, da VIAJAR VIAGENS E TURISMO esteve neste evento de nível internacional, que contou com comitiva de 25 representantes do Pará.

- Paysandu neste sábado e Remo amanhã, estreiam no segundo turno do Parazão 2015. No turno inicial fizeram "papelão" e ficaram fora da final. Independente de Tucuruí ergueu a taça. Na Copa Verde Leão e Papão estão muito bem.

- Já há comentários sobre candidatura de Edmilson Rodrigues para prefeitura de Belém em 2016. Ele que é do PSOL hoje é deputado federal.

- Tchau Boogie Oogie. Boa novela com final fraco. Império também partiu. Morte de comendador desagradou a maioria dos telespectadores. Babilônia chega quente, inclusive com relação homoafetiva na terceira idade.

- Nada do aumento para nós educadores. Refiro-me ao Piso Nacional. Pelo que fiquei sabendo, governo do Pará diz não ter recursos. SINTEPP está na batalha. É "fogo" ter o direito e não receber.

- Colete salva-vidas parece não constar no dicionário quando o assunto são as embarcações dos diversos municípios da imensa região da Ilha do Marajó. Quando chega o temporal e as ondas se agitam, dá um medo...

- A melhor unha de caranguejo de Belém é encontrada na Casa Camilo, bem na esquina da Almirante Barroso com Curuzu. Também maravilhosa é a do Beto Grill. Só que no Beto é por kg. Aí a gostosa fica mais cara.

- 2015 está passando a jato. A Semana Santa está logo ali.

- É devagar, devagar, devagar, devagarinho. São vários os setores da economia que estão faturando pouco ou nada nestes primeiros três meses do ano. Por isso milhões já perderam a paciência. E não são golpistas.

Escolas regularizadas. Aos poucos aumenta o número de escolas regularizadas no estado do Pará. O Conselho Estadual de Educação continua sua batalha. No âmbito das escolas estaduais, participação ativa da Coordenadoria de Documentação Escolar da SEDUC/PA.

- Depois eu volto e grato perlo acesso ao nosso Blog. Abração.
























Senado promove ciclo de audiências públicas sobre o financiamento da educação básica

2020 é o ano limite de vigência do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Com o desaparecimento desta fonte de recursos batendo à porta do sistema educacional brasileiro, a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) decidiu promover, entre os meses de março e abril, o ciclo de audiências públicas “A construção do cenário pós-Fundeb e a implantação do Custo-Aluno Qualidade (CAQ)”.
A iniciativa partiu da vice-presidente da comissão, senadora Fátima Bezerra (PT-RN), que quer discutir alternativas ao financiamento da educação básica a partir das metas traçadas no Plano Nacional de Educação (PNE).
— Sabemos o quanto o Fundeb é fundamental para estados e municípios manterem a política de financiamento da educação básica. Ele veio corrigir o caráter fragmentado do Fundef e vai da creche até o ensino médio — observou.
Balizadores
Conforme adiantou, o PNE já traçou como meta a projeção de investimentos na educação pública equivalente a 7% do Produto Interno Bruto (PIB) até 2019, alcançando 10% em 2024.
Não se pode perder de vista ainda, segundo Fátima, outros dois parâmetros “balizadores” da reforma no financiamento educacional: a implantação do CAQ, a partir de 2016, e a equiparação, até 2020, do rendimento médio dos professores da rede pública ao dos demais profissionais de nível superior do país.
— É consenso que esses cenários exigem uma maior participação da União no financiamento da área, a partir da efetivação de seu papel supletivo e redistributivo, não só por meio dos recursos advindos da exploração do petróleo, mas também de outras fontes permanentes e sustentáveis. — comentou Fátima.
Este ciclo de debates da CE vai ser aberto com o tema “Fundeb: reformulações necessárias, perspectivas de prorrogação e desafios a vencer”. As outras três audiências públicas deverão abordar, respectivamente, a implementação do CAQ; a política de valorização dos profissionais da educação; e a construção de um Sistema Nacional de Educação em regime colaborativo.
Fonte: Agência Senado