Translate

sexta-feira, 27 de maio de 2011

SANTA PADROEIRA DO POVO CIGANO

Dia 24 de maio é o dia da santa padroeira do Povo Cigano: Santa Sara Kali.
Para quem não conhece aí vai um pouco da história de Santa Sarah Kali e uma oração.

Conta a lenda que Maria Madalena, Maria Jacobé, Maria Salomé, José de Arimatéia e Trofino, junto com Sara, uma cigana escrava, foram atirados ao mar, numa barca sem remos e sem provisões.
Desesperadas, as três Marias puseram-se a orar e a chorar.
Aí então Sara retira o diklô (lenço) da cabeça, chama por Kristesko (Jesus Cristo) e promete que se todos se salvassem ela seria escrava de Jesus, e jamais andaria com a cabeça descoberta em sinal de respeito.
Milagrosamente, a barca sem rumo e à mercê de todas as intempéries, atravessou o oceano e aportou com todos salvos em Petit-Rhône, hoje a tão querida Saintes-Maries-de-La-Mer.
Sara cumpriu a promessa até o final dos seus dias.
Sua história e milagres a fez Padroeira Universal do Povo Cigano, sendo festejada todos os anos nos dias 24 e 25 de maio.
Segundo o livro oráculo (único escrito por uma verdadeira cigana) "Lilá Romai: Cartas Ciganas", escrito por Mirian Stanescon - Rorarni, princesa do clã Kalderash, deve ter nascido deste gesto de Sara Kali a tradição de toda mulher cigana casada usar um lenço que é a peça mais importante do seu vestuário: a prova disto é que quando se quer oferecer o mais belo presente a uma cigana se diz: "Dalto chucar diklô" (Te darei um bonito lenço).
Além de trazer saúde e prosperidade, Sara Kali é cultuada também pelas ciganas por ajudá-las diante da dificuldade de engravidar. Muitas que não conseguiam ter filhos faziam promessas a ela, no sentido de que, se concebessem, iriam à cripta da Santa, em Saintes-Maries-de-La-Mer no Sul da França, fariam uma noite de vigília e depositariam em seus pés como oferenda um Diklô, o mais bonito que encontrassem.

Oração
"Santa Sara, pelas forças das águas
Santa Sara, com seus mistérios,
possa estar sempre ao meu lado,
pela força da natureza.

Nós, filhos dos ventos, das estrelas e da lua cheia,
pedimos a Senhora que esteja sempre ao nosso lado;
pela figa, pela estrela de cinco pontas;
pelos cristais que hao de brilhar sempre
em nossas vidas.
E que os inimigos nunca nos enxerguem,
como a noite escura, sem estrelas e sem luar.
A Tsara (casa) é o descanso do dia-a-dia,
A Tsara é a nossa tenda.

Santa Sara, me abençõe;
Santa Sara, me acompanhe.
Santa Sara, ilumine minha Tsara,
para que todos que batam a minha porta
eu tenha sempre uma palavra de amor e de caminho.

Santa Sara, que eu nunca seja uma pessoa orgulhosa,
que eu seja sempre a mesma...
PESSOA HUMILDE !!!"
 
Que Santa Sara abençoe a todos nós!!!

Enviado pela amiga Sílvia Oliveira

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Deputado estadual não pode questionar plebiscito para divisão de estado

A ministra Ellen Gracie extinguiu o Mandado de Segurança no qual o deputado estadual paraense Celso Sabino questionava, no Supremo Tribunal Federal, o plebiscito para divisão do estado do Pará. Para ela, o parlamentar não é parte legítima para o pleito. Esse papel deve ser exercido apenas por senador e deputado federal, segundo a ministra.
Ela lembrou que, no Brasil, não existe o chamado controle judicial preventivo de constitucionalidade de lei. "Não é, assim, em princípio, admissível o exame, por esta Corte, de projetos de lei ou mesmo de propostas de emenda constitucional, para pronunciamento prévio sobre sua validade", disse.
Sabino contestava a consulta popular que prevê a criação de dois novos estados, Tapajós e Carajás. Segundo o parlamentar, a falta de detalhamento técnico da área afetada, nos moldes aprovados pela Câmara dos Deputados, não permitiria que a população atingida pudesse aferir a viabilidade e as repercussões políticas, econômicas e sociais inerentes à criação de uma nova unidade federada. O deputado estadual também argumentou que seria de interesse de toda população do Pará se manifestar sobre a proposta de desmembramento. Com informações da Assessoria de Comunicação do STF .

Cinco mil pessoas acompanham enterro de extrativistas em Marabá

26/05/2011
12:17
Da Redação
Agência Pará de Notícias
 
Foram enterrados, na manhã desta quinta-feira, 26, no cemitério municipal de Marabá, os corpos dos extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo. O casal foi assassinado a tiros na tarde de terça-feira (24), próximo ao assentamento onde moravam,  na zona rural de Nova Ipixuna. O enterro, que aconteceu pouco antes do meio-dia, foi precedido de um cortejo pelas ruas de Marabá, acompanhado por cerca de cinco mil pessoas. Além dos familiares do casal, havia muitas pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST) e à Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri).

Por volta das 5h da manhã, os militantes do MST fecharam a ponte sobre o rio Itacaiúnas, que dá acesso à zona urbana de Marabá. Os carros ficaram impedidos de passar, até a chegada da Polícia Militar, que negociou com os manifestantes a liberação de uma das pistas. Primeiramente, o MST concordou em abrir passagem apenas para ambulâncias. Logo, logo, duas ambulâncias cruzaram a ponte de 2km, e foram seguidas por carros menores, até que a manifestação se concentrou em apenas uma das pistas e o acesso a Marabá foi liberado.
Durante o protesto, que durou duas horas, foi rezada uma missa de ação de graças em memória dos extrativistas assassinados. A manifestação foi pacífica, acompanhada de perto pela PM. Logo depois da missa, criou-se o cortejo que percorreu os 5 km de distância até o cemitério. Às 11h em ponto, o grupo de militantes e familiares dos extrativistas chegou ao cemitério. Um carro-som orientava os manifestantes, que rezaram e entoaram músicas de protestos, mas sem nenhum conflito. Os corpos de José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo baixaram aos túmulos, cercados pela em emoção dos familiares, exatamente às 11h50min.
Paulo Silber, de Marabá
 

FETAGRI - Nota contra assassinato

MORTE ANUNCIADA

Na manhã desta terça feira dia 24, o casal  José Cláudio Ribeiro da Silva – Zé Cláudio e Maria do Espírito Santo Silva pais de dois filhos, ambos lideranças de agricultores agroextrativistas, se deslocavam para a cidade de Nova Ipixuna a 50 km de Marabá, quando tiveram que passar por uma ponte quebrada há 7 km de sua residencia, foram assassinadas em emboscada, por defenderem a floresta e a reforma agrária, denunciando a ação de fazendeiros e madeireiros da região, acredita-se que o crime tenha sido por  encomenda, pois foi a retirada a orelha do Zé Cláudio como forma de provar a sua execução para o mandante.
O Companheiro Zé Cláudio e sua esposa Maria eram ex-presidentes da Associação do Projeto de Assentamento Agroextrativista Praialta Piranheira – Nova Ipixuna – PA, criado em 1997, e sempre foram defensores da floresta e a anos vinham denunciando as ações dos fazendeiros e madeireiros da região que já desmataram cerca de 60% da floresta do assentamento.
Mesmo fazendo parte da lista dos marcados para morrer no Pará, nada foi feito para defender a vida do companheiro e da sua esposa, que vivam do extrativismo através da produção de perfumes, sabonetes, cremes, extração de óleo da andiroba, cupuaçu, castanha entre outros. Lutavam contra as madeireiras que atuavam na região, e foram constantemente ameaçados de morte pelos madeireiros.
A companheira Maria do Espirito Santo, estava se formando em pedagogia pela Universidade Federal do Pará – UFA, na turma de Pedagogia do Campo, na qual já havia defendido o seu Trabalho de Conclusão de Curso – TCC com o tema Meio Ambiente.
Um das últimas denuncias feitas em publico, ocorreu na ocasião de sua participação no TEDxAmamzônia que é um evento que reuniu cinquenta pensadores do Brasil e do mundo  em novembro de 2010 na cidade de Manaus, onde o companheiro Zé Cláudio afirmava que a próxima noticia que teriam dele seria a do seu assassinato, além de um documentário feito pela TV Record sobre os marcados para morrer e o desmatamento na amazônia.
A FETAGRI-PA, que tem 144 sindicatos filiados em sua base e sempre combateu a violência no campo e divulgou a lista dos marcados para morrer no Pará, mais uma vez lamenta uma morte anunciada. Para a FETAGRI-PA a violência no campo, é consequência do desmatamento feito por madeireiros e dos grandes projetos agropecuários no Estado do Pará, pela prática do trabalho escravo e pela fraude dos títulos de terras mais conhecidos como Grilagem no Campo.
A FETAGRI-PA realizou no dia 13 de maio, na Assembleia Legislativa dos Estado, um seminário sobre Violência no Campo e Combate a Grilagem, com a presença da Ouvidoria Agrária Nacional, INCRA, Secretaria Nacional de Direitos Humanos e a Ouvidoria Agrária do Estado, onde mais uma vez cobrou do judiciário e do Estado ações concretas de combate a violência e a grilagem no campo. Foram feitos depoimentos de lideranças ameaçadas de morte e o ressurgimento de forma seletiva dos assassinatos das lideranças dos Trabalhadores e Trabalhadoras rurais. Mais uma vez destacou a necessidade da segurança de vida de sua Coordenadora Regional do Sudeste Maria Joel Dias Costa que entre outras é uma das lideranças que está marcada para morrer.
A diretores da FETAGRI-PA juntamente com 20 (vinte) lideranças representantes de todas as regiões do Estado, se reuniu neste dia 24/05 as 13hs com o Secretario Estadual de Segurança Pública Dr. Luiz Fernandes, com o objetivo de cobrar do governo do Estado uma investigação rigorosa para apurar  e prender os pistoleiros e mandantes de mais um assassinato brutal dos defensores da Reforma Agrária e das Questões Ambientais. Reafirmamos que este assassinato é uma demonstração clara dos poderosos latifúndios contra a reforma agrária em nosso estado. Pedimos a imediata atuação da Policia Federal no caso, aja visto que o assentamento agroextrativista é competência da união.
Portanto reafirmamos nossa luta pela reforma agrária combatendo a violência no campo, o trabalho escravo, o desmatamento das nossas florestas e a grilagem de nossas terras, cobrando dos governos Estadual e Federal, Políticas Públicas de segurança para a concretização da Reforma Agrária.

Executiva da FETAGRI-PA

XV Feira Pan Amazônica do Livro - Convite aos Educadores do Campo

Belém 16 de maio de 2011.

Prezado Profissionais e Educadores do Forum Paraense de Educação no Campo
Nos dias 03 a 11 de setembro de 2011, a cidade de Belém estará sediando a XV Feira Pan Amazônica do Livro, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, promovida pela Secretaria de Estado de Cultura (SECULT), que tem por objetivo a divulgação do conhecimento literário e científico, portanto resultando na potencialização do conhecimento e na relevância do turismo literário para a sociedade Amazônica.
Diante disso, convidamos os profissionais e educadores do Forum Paraense de Educação do Campo - FEPC, para apresentarem propostas de trabalho, ou plano de cursos para oficinas, mini-cursos, palestras, bate-papo (papo-cabeça voltado para os estudantes), desde já, informamos que haverá remuneração simbólica pelo trabalho executado.

A estrutura da proposta de Trabalho deverá ser apresentada na seguinte metodologia:
Título do Trabalho
Objetivo
Justificativa
Metodologia
Recursos
Material Necessário
Tempo de Duração
Curriculum Vitae em Anexo.

A Feira do Livro está sob a Coordenação da Profa. Msc. Andressa Malcher, com equipe multidisciplinar.
As propostas de trabalhos deverão ser enviadas para o email da feira, fpanamazonica@yahoo.com.br telefones: 4009-8746 e 4009-8712.
Desde já agradecemos a sua valiosa colaboração.
Atenciosamente.
Sandra Regina Alves Teixeira
Técnica Gestão Cultural- Historiadora (SECULT)
Feira Pan Amazônica do Livro

terça-feira, 24 de maio de 2011

OAB-PA e a caminhada cívica contra a corrupção no Estado

A OAB-PA iniciou uma grande campanha de mídia para convocar a sociedade paraense a se manifestar contra a corrpução em nosso Estado. É a "Caminhada Contra a Corrupção, pela Vida e pela Paz".
O escandalo envolvendo parlamentares e funcionários da Assembleia Legislativa do Estado, que ganhou manchete nacional, deixou indignada a população do Pará. Cansada de conviver com tanta impunidade, a sociedade decidiu caminhar ao lado da OAB para pedir a punição dos envolvidos. A manifestação popular tem como objetivo reagir aos desvios de recursos na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa).
O presidente da OAB-PA, Jarbas Vasconcelos, informou que a Ordem está finalizando a elaboração dos pedidos que serão entregues ao MPE. Antes, eles serão submetidos à apreciação do Conselho Seccional, em Sessão Extraordinária, que acontece na próxima quarta-feira (25). A OAB-PA vai disponibilizar os pedidos para a coleta de assinaturas na sede da instituição, em algumas entidades e também durante a caminhada.
Coordenada pelos advogados Albano Martins, diretor tesoureiro da instituição e Ana Kelly Amorim - Conselheira Seccional, o ato público pretende reunir mais de 10 mil pessoas nas ruas do centro da capital paraense e colher assinaturas para os pedidos de punição de todos os envolvidos nas fraudes na Alepa, elaborados pela Ordem. "A expectativa é coletar 50 mil assinaturas, inclusive durante a caminhada, para fortalecer o pedido de prisão preventiva e de sequestro de bens de todos os envolvidos nas irregularidades", disse.
A concentração da caminhada acontece às 8h30, em frente à sede da Ordem.
As peças publicitárias para a campanha do Ato público já estão à disposição no site da OAB, no endereço www.oabpa.org.br.
Link disponível com a arte da camisa da Caminhada. Baixe o arquivo e produza a sua!
http://www.oabpa.org.br/pdf/camisa-caminhada.pdf
FONTE: 
http://www.oabpa.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1241:caminhada&catid=48:manchete

PCdoB paraense é contra criação de novos Estados

Considerando a divisão do Pará como "golpe", o PCdoB, através de um longo manifesto divulgado ontem (19), se diz contrário à criação dos Estados do Tapajós e Carajás. Leia o teor do documento:
1. A Câmara Federal em uma quinta-feira esvaziada aprovou o plebiscito para a divisão do Estado, que foi proposto por parlamentares de outras paragens, e deverá definir o futuro de 7.500.000 paraenses em seis meses. Desse jeito, como sempre, foram tratados os destinos da Amazônia e do Grão Pará desde o Brasil Colônia até nossos dias: à revelia de seus habitantes, sob interesses do capital mercantil ou financeiro, de grandes corporações e de latifundiários, com o beneplácito e conivência das elites locais, antigas e novas. Sintomaticamente, os defensores locais da divisão, velada ou abertamente, pretendem que o plebiscito se restrinja às pretensas áreas, deixando de fora do debate e da decisão a grande maioria dos paraenses.
2. Entendemos que essa é uma questão de extraordinária relevância para ficar restrita à discussão elitista ou localizada, sem o devido aprofundamento e abrangência, que envolva todos, para que todos tenham a consciência do melhor caminho: se o de desenvolvimento e inclusão social das 7.500.000 vidas, que deve ser o objetivo desse processo, ou de uma minoria que busca dividir para reinar. Por outro lado, o plebiscito, apesar dos subterfúgios, se apresenta como uma oportunidade do Pará refletir sobre o seu papel e importância na história política, sócio-econômica e cultural do Brasil e os reflexos de ser um Estado periférico e com riquezas naturais, em um país que na divisão internacional do trabalho ainda exporta prioritariamente matérias primas e insumos.

3. Não é possível falar do Pará descolado do Brasil, assim como de sua divisão sem considerar a concepção e o modelo de desenvolvimento de dependência, devastação e sangria que se mantêm até hoje, e que desenharam a sua geografia de concentração de riquezas, expansão da pobreza e da miséria (o Estado tem aproximadamente 10% dos miseráveis do país), e de insuficiente e débil presença do poder público para a maioria da população, diga-se, em todo seu território. 
FONTE:
http://ercioafonso.blogspot.com/2011/05/pcdob-paraense-e-contra-criacao-de.html    

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Deputado vai ao STF para barrar plebiscitos sobre divisão do Pará

A discussão sobre o desmembramento do Pará, que ainda está no Congresso Nacional, já chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF). O deputado estadual Celso Sabino (PR-PA) entrou com mandado de segurança na Corte contestando a votação dos projetos na Câmara dos Deputados que autorizam plebiscitos para consultar a população sobre o desmembramento do Pará e a criação dos Estados do Tapajós e de Carajás.
O parlamentar pede que seja suspensa a tramitação dos projetos enquanto não for realizado o estudo técnico necessário para ajudar a população a votar de forma correta. Segundo ele, ainda não foram demonstrados os custos sobre a possível realização dos plebiscitos e, principalmente, a organização e manutenção dos novos Estados.
A ação pede a anulação da votação do último dia 5, quando o plenário da Câmara aprovou os plebiscitos sobre a divisão do Pará. O deputado quer ainda que o assunto só volte à Casa após realização de estudo pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicadas (Ipea) para obtenção de dados técnicos quanto à viabilidade econômica e social dos novos Estados.
Caso os pedidos sejam negados, o deputado pede "que seja sanada a obscuridade que paira sobre a amplitude de votação do plebiscito que será convocado" sobre a criação do Estado de Carajás. A relatora do processo é a ministra Ellen Gracie.

terça-feira, 17 de maio de 2011

FÓRUM DA UNDIME EM BELÉM

Prezados,

        Convidamos todos a participar do Fórum Regional Metropolitano, nos dias 19 e 20 de maio no
Espaço Cultural Teatro Ipiranga, sito avenida Almirante Barroso, nº.777, entre travessa Humaitá e travessa do Chaco.


         Conforme aprovado no último Fórum Estadual, os Secretários de Educação adimplentes com a UNDIME estão isentos do pagamento da taxa de inscrição, com direito a participação de um técnico de sua secretaria.
          Para os demais Secretários, técnicos de secretaria e profissinais da educação, será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$ 50,00 (cinquenta reais) e para estudantes universitários será cobrada uma taxa no valor de R$ 25,00 (vinte e cinco reais).
          A programação atende a solicitação dos Secretários quanto à discussão do Plano Nacional de Educação a fim de os municípios poderem realizar suas Conferências Municipais de Educação para a revisão de seus Planos Municipais de Educação; e, o Piso Salarial Nacional, quando poderemos tirar dúvidas sobre como agir em nossos municípios. Teremos, ainda, informações de todos os programas que atuam em parceria com a UNDIME.
          O depósito da inscrição deverá ser feito no Banco do Brasil, Agência 2946-7, Conta 5928-5, cujo comprovante deverá ser encaminhado via fax para a UNDIME-PA ou apresentado no ato do credenciamento; porém, como as vagas são limitadas, deve-se confirmar a inscrição pelo e-mail:
undimepa@gmail.com, ou pelo fax: (91) 3201 5068, pois as vagas são limitadas.

          Contamos com a participação de todos "Por uma educação pública de qualidade na Amazônia".
Qualquer Informação, ligar para o número (91) 3201 5068


Nair Mascarenhas
Secretária Executiva
UNDIME/PA

CONCURSO EM SALINÓPOLIS/PA


TÉCNICOS PEDAGÓGICOS E DOCÊNCIA. 
VALOR DA TAXA DE INSCRIÇÃO R$ 75,00
Inscrições até 03 de junho de 2011

Técnico em Suporte PedagógicoCurso Superior em Pedagogia e habitação em gestão, orientação, supervisão escolar
 Atividades a serem desenvolvidas na zona urbana e/ou na zona rural, nas séries iniciais do ensino fundamental e educação infantil. 
Cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica de sua unidade escolar e/ou Secretaria Municipal de Educação; realizar estudos e pesquisas relacionadas às atividades de ensino, utilizando documentação cientifica e outras fontes de informações, analisando os resultados dos métodos empregados, para ampliar o próprio campo de conhecimento; planejar e organizar as atividades do corpo docente, distribuindo horários, números de horas aulas, determinado turmas que cada docente terá sobre sua responsabilidade, para possibilitar o desenvolvimento educativo dentro da unidade escolar; planejar e avaliar a ação didática, de acordo com as diretrizes fixas pelos órgãos técnicos, para assegurar bons índices de rendimentos escolar; e outras atividades inerentes ou correlatas ao cargo.

Vencimento Base: R$ 1.100,00
12 vagas - 200 horas/mes

Técnico em Psicopedagogia
Curso Superior em Pedagogia e pós graduação lato sensu em psicopedagogia
 Atividades a serem desenvolvidas na zona urbana e/ou na zona rural, nas séries iniciais do ensino fundamental e educação infantil
Cumprir plano de trabalho, segundo seu papel de atuação de forma preventiva e terapêutica, compreendendo os processos que ocorrem dentro do que ele está inserido. Seja atuando com a dislexia, disgrafia,problemas comportamentais, ou síndromes. Devendo exercer sua pedagogia de forma acolhedora, com o olhar do saber; e outras atividades inerentes ou correlatas ao cargo.
Vencimento Base: R$ 1.100,00
05 vagas - 200 horas/mes 

Todos os detalhes, acesse:
http://www.pciconcursos.com.br/concurso/prefeitura-de-salinopolis-pa-391-vagas  

Plebiscito no Pará: Zé Geraldo diz que população pode perder com divisão do Estado

 As discussões sobre a divisão do estado do Pará em três ganhou nova repercussão com aprovação, na Câmara Federal, de dois projetos de decreto legislativo. Os projetos autorizam a convocação e a realização de plebiscitos para a população resolver sobre o assunto.
De acordo com o deputado Zé Geraldo (PT/PA) este não é o melhor momento para realizar um plebiscito para dividir o estado. “Não acredito que esse seja o melhor momento para emancipar essas duas áreas. Essas regiões representam muito menos da metade da população do estado e num momento em que o governo do estado está fazendo grandes investimentos na área. Por tanto, a atual conjuntura política nacional não tem favoritismo para criação de novos estados, quanto mais para uma divisão em três. Minha visão é de alerta de que se for feito o plebiscito, a população que defende a divisão pode ter seus sonhos frustrados” explicou o petista.
O deputado afirmou, ainda, que o ideal seria aguardar cerca de 10 anos, até que estudos mais completos sobre a área possam ser realizados para evitar prejuízos econômicos para qualquer um dos estados. (Janary Damacena – Portal PT)
14/05/2011

Lideranças do Oeste do Pará reúnem para planejar estratégia do plebiscito do Tapajós


Publicado por ascom Em 16/05/2011
Foi realizado na última sexta-feira (13), em Santarém, o I Seminário Tapajós e Carajás Rumo ao Desenvolvimento. O evento foi promovido pelo Movimento pelo Plebiscito do Estado do Tapajós, com apoio da Prefeitura de Santarém. O evento reuniu centenas de pessoas da região oeste do Pará, mais precisamente, de 27 municípios que integrarão o Estado do Tapajós, sendo eles; Oriximiná, Terra Santa, Faro, Óbidos, Curuá, Juruti, Alenquer, Belterra, Santarém, Aveiro, Mojuí dos Campos, Itaituba, Jacareacanga, Almeirim, Prainha, Monte Alegre, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Vitória do Xingu, Brasil Novo, Medicilândia, Uruará, Placas, Rurópolis, Altamira e Trairão. Entre os presentes, prefeitos e vice-prefeitos, deputados federais e estaduais do Pará e do Amazonas, vereadores, e representantes de sociedade civil organizada.
A necessidade de união nessa luta suprapartidária e o desafio do convencimento pelo SIM à criação do Novo Estado fez parte do discurso de todas as autoridades. “Não permitiremos que a nossa crença seja coberta pelas pessoas que não compreendem que temos o direito de querer uma melhor qualidade de vida, a partir do desenvolvimento dos municípios desta região. Isto só será possível com a criação do Estado do Tapajós”, declarou Edivaldo Bernardo, coordenador-geral do Movimento.
A Prefeita de Santarém, Maria do Carmo, ratificou o apoio de seu governo à causa. “Eu me comprometo a consolidar a nossa Coordenadoria de Integração Regional e a ajudar o Movimento através do Fundo Municipal Pró-Criação do Estado do Tapajós”, afirmou.
O Seminário objetivou levantar recursos para garantir o estudo de viabilidade do Estado do Tapajós; consolidar a integração entre os municípios que compõem o futuro Estado, com vistas a realização do Plebiscito; e envidar esforços políticos para viabilizar a tramitação final do projeto junto ao Senado Federal.

Fonte:
Assessoria http://www.pt-para.org.br/liderancas-do-oeste-do-para-reunem-para-planejar-estrategia-do-plebiscito-do-tapajos/a de Comunicação – PMS  

Seduc e Sintepp debatem política estadual voltada ao docente

O secretário de Estado de Educação, Nilson Pinto, recebeu na tarde desta quinta-feira, 12, representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp) para tratar das novas diretrizes do órgão voltadas aos servidores da área. Na abertura da audiência, o titular da Seduc detalhou as ações de revitalização de vários estabelecimento da rede pública de ensino e reforçou a intenção de cumprir o calendário escolar sem prejuízo dos alunos por conta dessas obras.

A meta inicial da atual gestão era aproveitar o recesso escolar para executar obras nas salas de aula, banheiros e telhados dessas escolas. Mas um levantamento preliminar indicou que pelo menos 1.200 estabelecimentos da rede estadual precisariam passar por reformas, o que poderia levar mais tempo do que o previsto. Para garantir o cumprimento do calendário, a Seduc estabeleceu que como prioridades a reforma completa desses prédios como condição para o início do ano letivo e a realocação dos alunos para outros estabelecimentos ou o aluguel de espaços enquanto ocorresse a reforma.


Na pauta de reivindicações entregue pelo Sintepp os destaques foram a solicitação de retirada das ações de abusividade das greves de 2008, 2009 e 2010 e o pagamento de auxílio-alimentação. De acordo com Waldecir Costa, secretário adjunto de Gestão, o processo referente às questões ainda aguarda parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE).


Sobre o gozo de licença, a coordenadora de recursos humanos da Seduc, Maria José Brígido informou que o órgão está ajustando o quadro de docentes com a nomeação dos concursados. Entre as medidas de ajustes de lotação, foram estabelecidas a lotação em carga horária aberta; substituição dos temporários e substituição de carga extrapolada de professores do quadro. Essas medidas visam adequar a realidade da escola.


O secretário Nilson Pinto adiantou ao Sintepp que a implantação do Plano Estadual de Educação, previsto na pauta, precisa ser discutido em virtude da aprovação do Plano Nacional de Educação (PNE), que está tramitando na Camara dos Deputados e será enviado ao Senado. O secretário recomendou a discussão para avaliar os itens dos dois planos.


Calendário - O cumprimento dos 200 dias letivos a partir de 4 de abril foi pontuado pelo secretário adjunto de ensino, Cláudio Ribeiro. Ele ponderou aos integrantes do Sintepp que a retitada dos sábados do calendário escolar pode prejudicar principalmente os alunos que vão prestar exames do Enem e do vestibular. Nilson Pinto lembrou que o calendário precisa ser cumprido sob pena de denúncias no Ministério Público por parte de pais e responsáveis, observando que o calendário escolar é normativo e serve como referência às escolas.


Para garantir a transparência no processo eletivo de diretores e vices nas escolas, o secretário convidou o Sintepp para elaboração de projeto de lei que vise normatizar o pleito na rede estadual. Sobre as eventuais trocas de direções escolares, algumas aconteceram em virtude de denúncias de supostas irregularidades. As mudanças, contudo, foram feitas após apuração, ou ainda por solicitação dos próprios diretores, esclareceu o assessor politico, Altimar Alves. A reunião encerrou com a garantia da Seduc de que os dias 28 de abril e 11 de maio deste ano não serão descontados por conta da paralisação. Os dois dias terão aulas repostas, garantiu Conceição Holanda, uma das coordenadoras do Sintepp.


Texto: Izabel Cunha
Fotos: Rai Pontes
Ascom/Seduc